Quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014

Publicado em 05/12/2013

Nelson Mandela
(1918-2013)

“O “Madiba”, cuja vida é inspiração de dias melhores, morreu aos 95 anos em sua casa, em Joanesburgo “

 

O Conversa Afiada reproduz texto de José Antonio Lima, extraído da Carta Capital:


Nelson Mandela (1918-2013)



O “Madiba”, cuja vida é inspiração de dias melhores, morreu aos 95 anos em sua casa, em Joanesburgo



“Durante a minha vida, me dediquei à luta do povo africano. Lutei contra a dominação branca, e lutei contra a dominação negra. Eu defendi o ideal de uma sociedade democrática e livre, na qual todas as pessoas vivem juntas em harmonia e com oportunidades iguais. É um ideal para o qual espero viver e conseguir realizar. Mas, se preciso for, é um ideal para o qual estou disposto a morrer.”


Nelson Mandela, na abertura de sua declaração de defesa no Julgamento de Rivonia, em Pretória, em 20 de abril de 1964

***

Em 12 de fevereiro de 1990, quando Nelson Mandela foi solto, após 27 anos encarcerado, a África do Sul estava à beira de uma guerra civil entre brancos e negros. A libertação de Mandela era fruto de negociações entre o regime segregacionista do Apartheid e a resistência negra, mantidas em segredo para não estimular ainda mais violência por parte dos extremistas de ambos os lados. Havia uma imensa desconfiança a respeito das intenções de Mandela, mas mesmo após séculos de opressão e de seu sofrimento pessoal, Mandela tomou as decisões que fazem muitos considerá-lo o maior líder político de todos os tempos. Ao levar a todo o país uma mensagem em defesa da democracia e da igualdade, o Madiba, como é conhecido no país, se tornou o artífice da reconciliação entre brancos e negros sul-africanos, evitando o que poderia ser uma sangrenta guerra civil. Foi esse homem que a humanidade perdeu decorrente de uma infecção pulmonar, nesta quinta-feira 5. O anúncio oficial foi feito em rede nacional pelo presidente da África do Sul, Jacob Zuma.

A morte de Mandela era a má notícia que os sul-africanos esperavam há anos, desde que a saúde debilitada do ex-presidente começou a preocupar. A cada internação, o país entrava em apreensão, inúmeros boatos circulavam, o governo divulgava notas oficiais, até que vinha a notícia da alta. Desta vez, foi diferente. A morte de Mandela deve jogar boa parte do país em depressão.

Violência e o fim do Apartheid

O luto não se dá à toa. Após anos lutando contra o regime da supremacia branca de forma institucional, Mandela ajudou a fundar, em 1961, o Umkhonto weSizwe, braço armado do Congresso Nacional Africano (CNA). Dois anos depois de entrar na luta armada, Mandela foi preso e condenado à prisão perpétua no famigerado Julgamento de Rivonia. Ele deixaria a prisão apenas nos anos 1990, quando se juntaria a algumas poucas figuras que tentariam colocar fim ao Apartheid.

Como o regime beneficiava diversos grupos, a resistência às mudanças seria ferrenha. Logo após a soltura de Mandela, uma onda de violência tomou conta da África do Sul. Chacinas foram cometidas várias vezes por dia em trens e outros locais públicos. Líderes comunitários e outras figuras públicas foram executados. Massacres nos guetos negros se tornaram comuns. A execução do “colar”, por meio da qual um pneu com gasolina era colocado no pescoço da vítima e incendiado, se tornou a horrenda face da violência no país. Isso sem contar a repressão violenta da polícia contra as manifestações de populações negras. Era uma época que os sul-africanos “morriam como moscas”, nas palavras do arcebispo anglicano Desmond Tutu, Nobel da Paz.

A violência daquele período era atribuída a uma guerra entre o Congresso Nacional Africano, grupo liderado por Mandela, que pregava a igualdade entre brancos e negros, e o Inkatha, movimento nacionalista zulu, um dos diversos povos sul-africanos. Essa era apenas parte da explicação. A violência generalizada era uma ação orquestrada pelas forças de seguranças do regime e pelos extremistas de direita do Inkatha. Milhares de membros da facção zulu foram treinados em campos secretos e receberam armas e dinheiro das forças de segurança do regime e de líderes brancos de extrema-direita. Alguns policiais, brancos e negros, chegavam a coordenar e participar dos massacres. Quando não havia gente do Inkatha, mercenários de países como Angola e Namíbia eram contratados. Em silêncio, para não serem identificados como estrangeiros pelo sotaque, matavam sul-africanos a esmo.

Para o Inkatha, aquela era uma luta para manter a autonomia da terra KwaZulu e buscar a independência. Para os extremistas brancos, era uma estratégia dupla: primeiro manter a argumentação de que os negros eram incapazes de se autogovernar. Caso isso não desse certo, o CNA, de Mandela, ao menos ficaria enfraquecido para a eleição presidencial que se seguiria, a primeira na qual brancos e negros poderiam votar e ser votados livremente.

A estratégia de desestabilização não deu resultados graças à força de caráter de inúmeras pessoas, entre elas o então presidente sul-africano, Frederik Willem de Klerk, e de Mandela. Entre 1990 e 1993, a África do Sul revogou leis que davam amparo jurídico ao Apartheid, desmantelou seu arsenal nuclear e convocou eleições livres para 1994. Ao contrário do que pensavam os extremistas, o CNA não estava enfraquecido por conta da violência. Nas urnas, o partido obteve uma vitória massacrante, e Mandela se tornou o primeiro presidente negro na história do país.

“Nação Arco-Íris”

No poder, Mandela operou um milagre político. O Madiba fez os sul-africanos acreditarem no seu sonho, o de que a África do Sul poderia ser mesmo uma “Nação Arco-Íris”, na qual todas as “cores” poderiam conviver de forma harmônica. Mandela conseguiu contemplar os anseios das minorias brancas e conter a ânsia por justiça de líderes negros, muitos dos quais desejavam vingança após décadas de abusos e arbitrariedade.

A face mais visível do esforço de reconciliação feita por Mandela foi o apoio à seleção de rúgbi da África do Sul, os Springboks, na Copa do Mundo de 1995. Mandela não permitiu a mudança de nome e uniforme da equipe e tornou a seleção, símbolo de orgulho dos brancos, em orgulho nacional. A empreitada teve um fim épico com a improvável vitória da África do Sul sobre a Nova Zelândia, no hoje mítico Ellis Park, em Johannesburgo. A história foi registrada de forma magistral no livro Conquistando o Inimigo, de John Carlin, e no filme Invictus, de Clint Eastwood.

O apoio aos Springboks era parte da estratégia de Mandela de liderar pelo exemplo. Para o sul-africano comum, branco ou negro, era inevitável se questionar: como pode um homem que ficou encarcerado por 28 anos deixar a prisão sem qualquer resquício de rancor e adotar um tom tão reconciliatório? Se Mandela podia, todos podiam.

O milagre da Nação Arco-Íris foi também institucionalizado. Sob Mandela, a África do Sul passou a ter programas de habitação, educação e desenvolvimento econômico para a população negra; instalou a Comissão da Verdade e da Reconciliação, que serviu como catarse coletiva para o país; e aprovou uma nova Constituição, vista até hoje como ponto central de estabilidade na África do Sul.

O legado de Mandela


Desde que assumiu a presidência, Mandela deixou claro que gostaria de ser apenas o responsável pela transição da África do Sul, e não o guia eterno do país. Ele fez isso pois desejava uma África do Sul independente, inclusive dele próprio. A África do Sul que Mandela imaginou, no entanto, não conseguiu completar o sonho do líder visionário durante sua vida. Contra a vontade de Mandela, e de sua família, sua imagem é usada persistentemente de forma política, às vezes por líderes que dilapidam seu legado. Esse processo foi agravado pelo silêncio ao qual Mandela foi obrigado a se recolher devido ao agravamento de sua doença.

Nos governos de Thabo Mbeki (1999-2007) e do atual presidente, Jacob Zuma, ambos do CNA, a África do Sul teve grande crescimento econômico, mas a desigualdade social é maior que a existente no fim do Apartheid. O CNA, por sua vez, deixou de ser o partido da liberdade para se tornar um amontoado de políticos acusados de corrupção e de agir em benefício próprio. A Liga Jovem do ANC, fundada por Mandela, passou a ser conhecida pelos atos e palavras de intolerância de seus líderes, um perigo para uma país onde a violência racial está contida, mas a tensão entre brancos e negros, não.

Apesar do uso político de sua imagem, Mandela continua sendo o bastião da democracia na África do Sul. Talvez, o distanciamento entre seu legado e a condição atual do país tenha servido para, nos últimos anos, tornar mais agudo o sofrimento da população a cada nova internação. Hoje, finalmente, chegou o dia de deixar Mandela descansar, e dos sul-africanos colocarem o país no rumo sem um exemplo vivo para guiá-los.

Comentários

  • Adriano Medeiros Costa

    Mandela era comunista. Isso pouca gente não finge ter esquecido…

  • souza

    respeito foi uma grande marca de mandela.

  • PHA: O PIG está chamando Nelson Mandela de herói e outras saudações. Será que não encontramos manchetes dos tempos que ele foi preso e para a e$ta me$ma impren$a ele era bandido, terrorista e tudo o mais???????

  • Urbano

    Certamente o Mandela não era desta dimensão; estava uma acima, pelo menos.

  • Johnny

    O J. Barbosa lamentou as injustiças sofridas por Mandela.
    Se Mandela fosse brasileiro, JB seria seu algoz.

  • Nilson

    Tenho dois Nelson meus ídolos, meu pai já falecido e gora o Nelson Mandela.

  • Cláudio José

    Rio de Janeiro, 6 de dezembro de 2013 AMIGO MADIBA (Cláudio José) O mundo está mais triste e pobre Morreu o grande guerreiro da liberdade Morreu o grande amigo Madiba Morreu Nelson Mandela Entrou para a história do mundo Entrou para o céu da humanidade Partiu para o infinito e virou uma estrela Lutou o bom combate, sem nunca desistir Lutou por todos nós amantes da justiça Lutou por todos nós amantes da solidariedade Mandela filho da África Mandela pai da liberdade Mandela avó de um mundo de paz e amor Nelson nunca vamos te esquecer Mandela nunca vamos desistir Madiba nunca vamos abandonar O seu legado de justiça, paz, amor, e liberdade Nunca vamos abandonar a luta por um mundo melhor Nunca vamos abandonar o lindo sonho do amigo da liberdade.

  • sir

    Tanta hipocrisia quando esse bravo homem estava preso , foram poucos que o ajudaram , e hoje …muitos que vão para a tv dar os pesames, dá uma vontade de vomitar…fazerem média ? me espelhei nele etc e tal…Primeiro vão nascer de novo quem é quem, que poderia ser comparado mesmo com o dedo do pé?Vao nascer de novo!!!Eua,Itália, França, inglaterra etc…lembrem que este guerreiro que se foi usava como arma o respeito, a gentileza, a humildade e honestidade..”nunca foi manipulador ” nunca foi oportunista!!!!ele sim tinha um “CORAÇÃO LIMPO”

  • Maria Thereza

    aqui no Brasil, com nossa jaboticaba “ficha limpa” Mandela não teria sequer podido ser candidato, quanto mais eleito presidente. Às vezes, tenho a sensação que o ficha limpa só surgiu mesmo para, em algum momento, inviabilizar Lula. Nem estou desconfiando das boas intenções de quem lutou por essa lei. Mas, de acordo com ela, Genoíno e Dirceu, não são mais aptos a disputar cargos, pois foram julgados por um colegiado e em última instância. Joguem-se fora todas as estripulias feitas para atingir esse resultado, pois o que importa é o que está sacramentado.

  • Mardones

    O homem que fez o PIG do mundo inteiro se render ao seu legado. Não precisa dizer mais nada.

    Sugestão:

    Ouçam Strage Fruit com a inigualável Billy Holliday em honra à Mandiba.

  • Salve Nelson Mandela, viverá para sempre na História e no coração da Humanidade. Isto acontece com os grandes seres humanos. Descanse em paz Mandela.

  • Syk4Ryo e A Democracia

    À exemplo da África do Sul, a Democracia não se mostra uma conquista popular, mas uma concessão calculada da Elite.

  • Nelson

    #‎nelsonmandela‬ com certeza será a próxima capa da ‪#‎veja‬

    - Resta saber se vão informar o que ele realmente foi ou decidir o que os leitores somente precisam saber ?

  • Armando

    O mundo ainda precisa de muitos Mandelas.

  • Pedro Alves da Costa Junior

    Mandela vive!!!

  • marcelo

    Não há palavras para descrever Mandela. Sua memória continuará viva em alguns poucos líderes como o presidente Lula.

  • ansogo

    Mandela (madiba), um exemplo para o mundo que a elite paulista, o psdb, o dem, o pps, e o pig não reconhecem, pobre e preto.

  • http://www.marcelochaveiro.com.br/Murilo Cesar Berrini da Fonseca

    Fisicamente, o Mandela pode até não mas estar entre nós, no entanto, em nossos corações, nossas mentes, ficará indelevelmente gravada sua obra ! O presente o perde mas a história jamais o esquecerá !

  • Paulo Ribeiro

    Mandela representou para a África do Sul no século XX o que Luiz Inácio Lula da Silva significa hoje para o povo brasileiro – símbolo de luta contra a opressão e eterna busca pela liberdade e dignidade dos mais humildes. Vai-se fisicamente Mandela, mas permanecem os seus ideais nas mãos daqueles que o admiram e mantém o compromisso de seguir em sua batalha.

  • Vera Billie Jean

    Viva Genoino
    Viva Dirceu
    Viva Mandela

    http://noticias.r7.com/internacional/fotos/despedida-dolorosa-morte-de-mandela-reforca-mensagem-de-paz-e-desperta-comocao-e-homenagens-06122013#!/foto/8

    Será que agora os coxinhas vão entender que o simbolismo do punho fechado é da resistência?

    Resistência FOREVER

  • Diretamente do asfalto

    O Brasil merece um Mandela, será???

  • pap

    Ola:

    Torço para que a Africa do sul não jogue na sarjeta todo o sacrifício
    de MANDELA por uma vida melhor.
    O que falar de MANDELA? MADIBA!

  • “Durante a minha vida, me dediquei à luta do povo africano. Lutei contra a dominação branca, e lutei contra a dominação negra. Eu defendi o ideal de uma sociedade democrática e livre, na qual todas as pessoas vivem juntas em harmonia e com oportunidades iguais. É um ideal para o qual espero viver e conseguir realizar. Mas, se preciso for, é um ideal para o qual estou disposto a morrer.”
    Este texto certamente seria assinado com méritos por
    DILMA, DIRCEU GENOINO e outros que lutaram pela liberdade de seu povo e pela democracia.
    COMO ISSO teve que ser dito pelo globo, na sequencia em letras garrafais fala sobre o mensalão, para negar a luta desses brasileiro.
    Meu carinho por Mandela será eterno.

  • Horridus Bendegó

    Se Mandela tivesse sido no Brasil, a Globo o trataria como Genuíno!

  • Eugenio L.da Costa

    O extremo negativo é o Joaquim Barbosa…

    2. REDE Esgoto de Televisão ou TV GLOBO PARA OS BOBOS…. Mas eles não perdem a BOSSALIDADE, ainda tratam como se o telespectador fosse Homer Simpson, mediocre.

  • Vaquer

    A cada dia o mundo lamenta a perda de suas lideranças.

  • Hugo Fontes

    Chega de hipocrisia, imprensa brasileira! Vocês sempre foram contra Mandela e agora fingem homenageá-lo? Será que Globo, Veja, Folha e Estadão algum dia iriam apoiar alguém com essa bandeira nos fundos? Apoiariam sim, que ele fosse preso, torturado e morto, assim como aconteceu com vários esquerdistas na ditadura militar brasileira e se repete hoje com os presos políticos do “mentirão”. Aliás, Barbosa! Que nota é essa do presidente do STF? Grande parte dos negros brasileiros sentem nojo da sua postura autoritária e criminosa! Você não engana mais ninguém empregando seu filho na Globo, comprando apartamento de 1 milhão de dólares em Miami através de uma empresa de fachada, recebendo como professor sem trabalhar e fazendo uma campanha ferrenha para aumentar seu salário e de seus pares para mais de 30 mil reais. Mandela, com certeza, repudiaria com veemência qualquer homenagem vinda da Globo, Folha, Veja e Estadão! Mandela também dispensaria qualquer homenagem prestada por Joaquim Barbosa!
    O melhor amigo de Mandela no Brasil chama-se Luiz Inácio Lula da Silva!

  • Preto Velho

    Quem será o Madiba do PIG?

    Cada um com o Madiba que merece… rsrsrs

  • Rafael FT

    Dilma seguiu o exemplo de Mandela, de rebelde “guerrilheira” a Presidenta

  • Wilson

    Mandela, vá em paz! Sua obra de luta e bondade jamais será esquecida. A prisão, apesar de tentar lhe calar, fortaleceu sua imagem ainda mais! Mandela, foi mais uma vítima da injustiça cometida por tribunais de exceção, sendo considerado “terrorista” por países como E.U.A. Inglaterra e Israel, além de muitos canalhas da mídia ao redor do mundo. Mas o povo, independentemente de todas as calúnias e manipulações, sempre o reconhecerá como um grande líder da história mundial.

  • joao carlos

    E interessante como a midia patronal udenista e elitista admira o Mandela, mas de preferencia morto na e na Africa do Sul, aqui eles sao contra politicas de afirmacao e de compensacao e reparacao historica para com os negros e classes marginalizadas do Brasil. Estivesse no Brasil Mandela seria perseguido, humilhado, condenado e preso por essa midia elitista hipocrita e patronal.

  • Yacov

    Algumas pessoas nos fazem reavaliar a humanidade, e voltar a ter esperanças…. MUITO OBRIGADO, NELSON MANDELA !!!

    “O BRASIL PARA TODOS não passa no SISTEMA gloBBBo de SONEGAÇÃO – O que passa SISTEMA gloBBBo de SONEGAÇÃO é o braZil-Zil-Zil para TOLOS”

  • janio

    Mandela que tua luta aqui seja não só lembrada mas eternizada!!! Princípios humanos não comungam com princípios mercadológicos porque o mercado é a negação do homem e a imposição do individualismo sobre o coletivo!!!! Eternas serão tuas muitas lutas!!!!!

  • VJ

    Eles tinham o Mandela. Um exemplo. E nós? Temos o Barbosa… triste sina.

  • luis fernando

    fiquem em paz nélson mandela estás no ceú.

  • adriano

    Como definir Mandela : ( AMOR A TODOS SER VIVO DO UNIVERSO), Que Deus o receba de braços aberto com um sorriso igual ao seu.

  • Jose

    Engraçado é ver esse pessoalzinho de direita, que apoiou (e apoiaria novamente) o Apartheid, chorar a morte de Mandela. A Globo omitiu praticamente todas as coisas boas da vida política de Mandela, até o colocou ao lado de FHC. Obama então, presidente de um país que não só apoiou o Apartheid, como, ao lado de Israel, ofereceu armas atômicas para os brancos genocidas e ele teve a cara de pau de dizer que se inspirou em Mandela, não me lembro de Mandela apoiar invasões de outros países e nem o neoliberalismo, muito pelo contrário. Isso sem falar as inúmeras tentativas de assassinato de Mandela que a CIA comandou. Mas agora, para essa gentalha, ele é um santo. É santo sim, mas um santo do povo, da nossa gente, não dessa direita podre e maldita. Mandela sempre foi e sempre será de esquerda… ponto final!

  • Silva

    E se Mandela fosse brasileiro.

  • É uma grande perda mundial, falta um lider desta envergadura no Brasil, quem sabe não será o Joaquim Barbosa.

  • renato

    Deus! Perdemos um homem de Deus.
    A sal da terra, desta era!
    Por onde Deus ira salgar o planeta agora?

  • Carlos Valadares

    As grande nações mandarão seus grandes chefes para os cerimonias fúnebres de Mandela,mas pouco ou nada fizeram para a sua libertação,pois estas mesmas nações tinham grande interesses comerciais com o seu país.Grandes hipócritas. E assim caminha a humanidade.Viva Mandela.

  • Ronaldo Pacheco

    A Globo enaltece Mandela graças ao oceano Atlântico.

  • Michael

    Descanse em paz, guerreiro.

    Sua luta não foi em vão, e seu legado é um orgulho para todos nós!

  • souza

    descanso do guerreiro.
    símbolo da resistência.

  • José Fernandes

    Madiba. vive!!!!!!!!!!!

  • Fábio

    Jornal nacional 10% tenta associar a imagem de Mandela a FHC. Hipocrisia, a gente se vê por aqui. Plim plim.

    • José Fernandes

      o meu caro Fábio, você e daqueles que assisti o jn, sai dessa cara. se desapega !!!!!!! kkkkkkk

    • Andrea

      Devemos sentir vergonha desta Pig com tal comparação sem decência.

      Mandiba, tua nobreza de história de vida vai sempre encorajar os iluminados e causar inveja nos desprovidos de humanidade!

    • FERRETTI

      Então Fábio,o mais interessante é ver o jn divulgando que os ingleses estão costernados com a morte de Mandela,é rainha,principe,ministro,lord e o escambal a quatro,eles deviam estar envergonhados e mostrar que foram eles os ingleses que manteram e financiaram o regime do apartaid,matando escorraçando tripudiando toda a populaço negra da Africa,Asia e mundo em geral só para manter esse reinado ridículo.

  • JBMartins-Floripa SC

    É isto 1% da elite em qualquer Pais não respeitam os direitos, eles pensam somente nos seus umbigos, porem temos sorte sempre aparece um Mandela para fazer historia e colocar esta elite a pensar.

    • Consuelo Fernanda de Barros Nery.

      Em nenhum momento o JN mostrou imagens de Lula com Nelson Mandela, nem aquelas em que Lula encabeçou a campanha para que a copa do mundo de 2010 fosse realizada na África do Sul.

  • Vanderlei Prochnow

    Mandela, um herói na luta contra o segregacionismo racial de 44 anos na África do Sul.
    Lula, um herói na luta contra o segregacionismo social de mais de 500 anos no Brasil.

    • Sylvia Tigre de Hollanda Cavalcanti

      Parabéns,comparou certinho.Como acredito em Deus sei que Mandela foi
      muito bem recebido e que Lula terá muitos anos mais,com saúde e lúcido
      como sempre.Por todo o nosso Brasil agradeço de coração ao Pai Eterno.

  • joão augusto

    Salve Nelson Mandela .
    Viva o Brasil!
    VIva o BRICS!
    Viva Mandela!

  • Boa noite.

    Querid@s colegas de luta que postam no blogue do CAf.

    Nelson Mandela ( 1918; 2013).

    Meu tributo a Mandela, Malcolm X, Martin Luther King, Jesse Jackson e a Rosa Parks. Eles me fizeram acreditar [ainda mais] na raça humana.
    Saibam que eles só morrerão, de todo, quando não houver mais quem lhes evoque o nome. O físico é transitório; as ideias perduram. Bela passagem pelo planeta, irmãos.

    Saudações “Dilma, como eu aplico a ‘teoria do controle remoto’ à Internet? Lei dos Meios Agora. Globo, Mostra o DARF.“.
    Morvan, Usuário Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use Linux.

    • Boa noite.

      Para evitar mal entendidos, informo que o Rev. Jesse Jackson, apesar de arrolado nas homenagens, encontra-se vivo e muito bem. Citei-lhe por sua pugna pelos direitos humanos.

      Saudações “Dilma, como eu aplico a ‘teoria do controle remoto’ à Internet? Lei dos Meios Agora. Globo, Mostra o DARF.“.
      Morvan, Usuário Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use Linux.

  • Misael

    Mandela,um grande líder que tentaram sufocar com 27 anos de prisão, mas ele se manteve firme nos seus ideais por uma sociedade justa e igualitária, venceu a elite podre e escravagista e fez da África do Sul um pais mais igual…mais justo,
    Aqui no Brasil essa elite fétida junto com a mídia golpista querem fazer o mesmo com as lideranças do PT, usam o STF e seus ministros para prender sem provas e tentarem voltar ao poder pra continuar escravizando e roubando nosso povo….NÃO CONSEGUIRÃO….DILMA 2014

  • I.F.Neto

    O legado de Mandela não está perdido. Ponto.
    A África do sul enfrenta a eterna chaga humana: a pobreza. Ponto.
    Séculos de segregacionismo de natureza racial ainda estão arraigados na população branca e negra. Ponto.
    O contraponto a tudo isso era Mandela, que disse que perdoar era lembrar sem sofrer.
    Para ele, a impossível reconciliação entre brancos e negros era um ideal, um sonho,
    A África do Sul perdeu mais do que um líder. Um verdadeiro ícone do nosso tempo.
    Vá em paz, guerreiro. Que a eternidade te seja leve. Tua história venceu o mundo.

  • Reinaldo José Mercador Dantas

    Bravo Homem. Homem de bem. Valoroso Homem. Homem.

Deixe seu comentário

"O Conversa Afiada não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas ou que excedam 15 linhas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Conversa Afiada."

  •