Quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

Publicado em 19/07/2012

Para a Globo só
criança branca Cresce

Não, a Globo não é racista !

O amigo navegante Walter Ferreira recomendou um importante questionamento da blogueira Ericka Guimarães: porque a revista Crescer, da Editora Globo, não coloca crianças negras na capa?

A Crescer e suas crianças brancas

Mãe não é só quem põe no mundo, é quem cria, quem brinca, quem canta, quem paga pelo Netflix e vê mais a Galinha Pintadinha e a Dora do que os próprios filmes e seriados, que tira onda com as descobertas do filhote e também quem entende nada do assunto e tenta aprender um pouquinho sobre esse universo nas revistas.

E foi assim que eu abri a revista Crescer pela primeira vez. Com curiosidade de mãe, de jornalista e de revisteira. Eis que lá pelo 3º mês de acompanhamento eu me perguntei: isso é revista de europeu? cadê as crianças negras? Achei que era implicância minha, então fui atrás das capas. Separei as de junho de 2011 até junho de 2012 (estão fora de ordem cronológica, o que não vai afetar a análise). Acompanhem-me:

Para ver todas as imagens, clique aqui

E aí que eu me senti bastante incomodada com isso de só ter crianças brancas na capa de revista em um ano inteiro. Mandei um email bem civilizado pra eles no início junho, assim que comprei a revista do mês.

Olá, bom dia!
Acompanho a revista Crescer há um ano e desde a edição de julho do ano passado percebi que vocês não colocaram nenhuma criança negra, parda ou com traços asiáticos, ou mesmo crianças brancas com cabelos crespos na capa. Entrando no site percebi, ainda, que pelo menos, desde outubro de 2010 só há crianças brancas (e a maioria de olhos claros!). Talvez seja uma situação que acontece há muito mais tempo, mas o site dá erro nas páginas anteriores a essa data. Há alguma restrição editorial sobre isso? Como mãe e jornalista fico bastante incomodada com essa situação. Gostaria de deixar bem claro que não tenho preconceitos com crianças brancas e/ou dos olhos azuis, mas creio que uma revista deve reproduzir características e comportamentos do país em que ela circula. As crianças mostradas nas capas são maioria na publicação, mas não no Brasil. Numa época em que a gente ensina os nossos filhos que eles não devem julgar pessoas pela cor da pele, vocês simplesmente ignoram que no Brasil existem crianças de várias “cores” e que todas elas são igualmente lindas para ser capa da Crescer. Cadê a diversidade?

Aguardo resposta.
Atenciosamente,
Ericka Guimarães

A resposta da revista está abaixo:

A Crescer e suas crianças brancas – parte II


Primeiramente, gostaria de agradecer tooodo mundo que leu o post anterior, que curtiu, que comentou, que compartilhou e que deu aquele RT maroto para os seus coleguinhas. Fico muito feliz em saber que muita gente se incomodou com a postura de Crescer em só colocar crianças brancas nas capas de suas publicações. Quem pegou o bonde andando pode ler o primeiro post.

Pois bem, eis que a Crescer me (nos) ouviu e respondeu o meu email:


Ericka,
tudo bem? Vimos seu post no seu blog, que acompanhamos.
Primeiro gostaríamos de pedir desculpas por tê-la deixado sem resposta, ainda não conseguimos localizar seu e-mail aqui para saber o que aconteceu, já que costumamos sempre falar com nossos leitores.
De fato, faz algum tempo que não temos capas com crianças negras, mas costumamos fazer muitas fotos com crianças de todas as raças em nossas reportagens, como você pode ver em todas as edições da Crescer.
Esperamos continuar tendo você como leitora.
Obrigada,
Daniela

Essa foi a minha resposta:


Olá, Daniela.

Infelizmente a sua resposta foi muito pequena e vaga diante do meu questionamento. Em quase dois anos vocês não colocaram crianças negras na capa da publicação de vocês. Isso não é normal! E já que você falou que vocês colocam crianças de todas as raças nas imagens das reportagens, eu resolvi conferir e contar. Peguei como exemplo a edição de julho de 2012 e olha só (não entraram na contagem as fotos de depoimentos pessoais dos leitores e publicidade):

Crescer – Julho 2012

1 criança negra (acompanhada de 1 adulto negro)
35 crianças brancas
(exceção: reportagem sobre o novo programa do Marcelo Tas, com 11 crianças, sendo 2 negras e talvez uma crianças com traços asiáticos)
Total: 3 crianças negras e 43 crianças brancas e um possível descendente de asiáticos.
(talvez em tenha contado alguma crianças mais de uma vez, mas deu pra ter uma idéia do que eu quis dizer)

Daniela, esse texto tomou uma proporção que nem eu imaginava.
De acordo com a contagem do Blogger, foram, até agora, 344 visualizações, além das várias curtidas e compartilhadas via Facebook. Sugiro que você dê uma olhada nos comentários do post. Você vai ver que a sua resposta nada esclarece. (atualização da madrugada: passou das 1600!)

A Crescer é um veículo de comunicação respeitado entre as mães e não pode fingir que essa ausência é mera obra do acaso. Vocês estão moldando as leitoras, inconscientemente, a pensar que os filhos delas só serão bonitos o suficiente para aparecer na capa da publicação se forem brancos de olho claro. E eu já vi esse tipo de comentário no próprio site da revista, uma mãe estava questionando o que ela deveria fazer para que a filha dela fosse capa da revista e ela escreve: Como faço para minha filha ser capa da Crescer? Ela tem pele clara… (e o resto eu não me lembro). Esse é o critério de seleção? Não deveria!

O que já aconteceu, ou o que já foi publicado, não pode ser mudado. Mas é sempre tempo de se mudar de postura. E quanto a mim, vão precisar se esforçar um pouco mais para me fazer comprar a revista novamente.

É isso, gente. Pode parecer pouca coisa, mas eu realmente quero viver num mundo em que as pessoas (e crianças!) não sejam julgadas como superiores ou inferiores, como bonitas ou feias, baseadas na cor da pele. Na verdade esse julgamento não deveria existir, já que ninguém é melhor que ninguém e beleza é questão de gosto. Enfim, eu quero que a diversidade seja respeitada.


Em tempo: este post é uma singela homenagem a Ali Kmamel: não, a Globo não é racista !

 

Comentários

  • jorge teixeira dos santos

    infelizmente esse e um pais a onde eu vivo, e a onde meus filhos irao crescer sendo descriminado por ser negro, como se isso fosse um crime inanfiançavel e a pena, e ser visto com desconfiança por uma sociedade aristocrata, imunda e fedorenta igualzinha a cor da rede globo de televisao.

  • Elisangela

    Erika achei o máximo o seu post, vou divulgar nas redes sociais.

  • osk

    O que é, é.
    O que é bonito, é bonito.
    Este conceito é universal.
    Não sou bonito, mas sei reconhecer a beleza.

  • Gustavo

    Tudo isso já faz parte da cultura em que vivemos…e os conceitos que criamos vão muito além de considerar um bebê de pele e olhos claros bonito e um negro de cabelos crespos feio e inadequado para uma capa de revista.

  • Luis R

    Vem cá, só falam em crianças brancas, negras ou asiáticas??? Quer dizer que no Brasil não há crianças INDIAS???

  • José Bonaparte

    Isso é que dá num país onde existe a liberdade de comunicação, mas não existe o acompanhamento do que está sendo veiculado. E cada um faz a sua própria lei. Infelizmente ” a lei dos meios de comunicação ” feita por Franklim Martins Ministro das Comunicações do Governo LULA está engavetada. Até hoje não sei o porquê ? Qual será o tempo de Hibernação de uma lei, hein Bernardo ?

  • Helder

    Mas o Kamel já dizia que aqui não existe afro-descendentes, a revista só seguiu isso ao pé da letra e buscou retratar a realidade da “mestiçagem sueca” do nosso povo, se é que me entendem… sobre esse conceito nem o Kamel apareceria na revista, rs

  • Francisca Rocha

    Eis aí a comprovação do racismo no Brasil! Apesar do Kameis da vida dizer que não existe racismo, parece mais um alienado, o preconceito se estabelece desde criança e encontra uma grande força no PIG, políticos, etc.

  • Francisco José Evandro de Melo

    Esse foi um dos motivos que me fizeram deixar de comprar estas “maravilhas de exterco”. Eu fui assinante, de veja, isto é, época e de outras… hoje estão servindo de recortes para os meus netos nos trabalhos escolares, é só pra que servem. Não assisto outro canal se não a RECORD. Quando quero diferenciar vou para o pc ler os blogs sujos kkkkkkkkkkk é meu lazer do dia-a-dia!

    • victor rocha

      Prezado Francisco, não faça isso. Não assista APENAS a Record. O inimigo, temos que conhecê-lo de perto, saber o q está fazendo, até para podermos nos proteger melhor deles e, principalmente, combatê-los. Abs.

  • Delano Pessoa

    Se a desculpa for mercadológica, fica provado a necessidade de políticas sociais como o PROUNI e o ENEM, das quais as Org. Globu são contra, talvez porque não queira mudar o perfil ilustrativo de suas publicações. Da-lhe Nunca Dantes!!!

  • walter ramos

    essa agora doeu porque envolveu as criancinhas, estão praticando racismo até com as criancinhas, a Globo está parecida com a Rainha Malvada

  • Wagner Oliveira

    Para todas as empresas da Globo, negro e pobre servem apenas de figuração de fundo. Para esta organização (mafiosa?) somente os brancos são importantes, inteligentes, geniais, consumidores e valem a pena ser vistos e escutados.

  • I.F.Neto

    Esse assunto ainda rende… Vejamos: segundo o IBGE, em 2010 éramos 42 e alguma coisa por cento de pardos. Seguindo essa porcentagem, a revista definitivamente não reflete a realidade brasileira. Lembro de uma foto muito comentada tempos atrás, da grife Benneton, onde uma mulher branca e linda amamenta uma criança linda e, negra. A foto causou furor em meios conservadores. O Brasil precisa ser passado a limpo. O racismo é uma herança maldita da casa grande. A senzala mudou de nome, agora é favela e comunidade. Mas a discriminação, continua a mesma. Uma lástima a herança educacional que deixamos aos nosso filhos.

  • Leno Lindo do Amor Divino

    O PiG odeia essa interatividade -e o estardalhaço da blogosfera.Eles contavam c/ os anos de fhc onde só os jardins,por exemplo,e assemelhados periféricos,tinham “direito” à net.F…,perdeu pai!

  • Gilson

    Cara Ericka, meu respeito, admiração e apoio pela sua postura.
    É por essas razões que o PHA se defende de Gilmar, Heraldo e da Globo,… pois o kamel disse que não somos racistas.

  • souza

    cultura discriminatória.
    lutar para mudar.

  • Alex Gonçalves

    Caramba, no resto das capas dá pra ver que as crianças são todas de olhos claros. Nem no sul tem tantos arianos assim!

  • Primeiro,paremos de comprar a revista, pais e mães que tiveram “o azar”de ter filhos “inferiores” segundo a linha editorial da revista, parem de ler e comprar a revista.Segundo,sugiro a mudança da revista pra Europa, pois como se sabe a economia por lá anda “bombando”.

  • Fred Azevedo

    Para a grobo, só o Cerra presta…entenderam!??

  • Sérgio C. Franca - Piracicaba/SP

    O que poderia se esperar de uma publicação da Globo?
    Eles só trabalham para um grupo seleto; onde infelizmente a maioria do povo brasileiro não está enquadrado…

  • Antônio Mattarazzo

    Leitora está enganada, pois Kamel já decretou: “Nós não somos rascistas!”

  • Amaro Shakur

    Eles ainda não perceberam que o Brasil mudou e que agora ninguém engana mais ninguém, a globo ainda acha que só os globais são esperto e ninguém vai perceber nada, o Kamel acredita no livro que escreveu, coitado….

  • Paulo Palavra

    “As crianças mostradas nas capas são maioria na publicação, mas não no Brasil. Numa época em que a gente ensina os nossos filhos que eles não devem julgar pessoas pela cor da pele, vocês simplesmente ignoram que no Brasil existem crianças de várias “cores” e que todas elas são igualmente lindas para ser capa da Crescer. Cadê a diversidade?

    Aguardo resposta.
    Atenciosamente,
    Ericka Guimarães”.

    Minha cara, a tal diversidade que você cobra EXISTE na revista CRESCER. A questão é que você ainda não atentou para nicho de mercado que a Revista pretende atingir. Está bastante “claro” (de preferência de olhos azuis) que o “universo” de mercado que os editores trabalham tem a população negra e parda ou até branca de cabelo crespo correspondendo a “grande minoria” com poder aquisitivo para comprar essa revista. ISSO, infelizmente, É FATO mercadológico!!!

    • Paulo, é resultado do próprio racismo que, no Brasil, os negros tendam estatisticamente a ser mais pobres que os brancos. Porém, você há de convir que nem toda pessoa de classe média a alta é loira dos olhos azuis. Há muitos membros da classe média e ricos morenos, pardos, orientais e por aí vai. Portanto, as capas da revista não são representativas sequer do público a que são direcionadas.

  • NYLSON FILHO

    A maior esperteza do diabo é fazer as pessoas acreditarem que ele não existe. O mesmo acontece com os racistas. São espertos, divulgam que o racismo não existe só para perpetuá-lo e defender seus privilégios de elite branca, como as vagas nas universidades (públicas!), os empregos tanto na iniciativa privada como no poder público e por aí vai. Outra esperteza é dizer que, cientificamente, raça não existe e portanto não cabe discutir raça. Esquecem de dizer que raça tornou-se não um conceito biológico para tornar-se político e social. É o que existe no Brasil: as raças não existem mas o racismo sim.

  • Tô de Olho na oPósição

    Complementando…
    Pequenos detalhes que “fazem” a cabeça da população e destroem a autoestima de uma mãe negra, por exemplo!

  • Tô de Olho na oPósição

    PHA:
    “Matou a cobra e mostrou o pau!”
    Além disso, fez a dedicatória do post para a pessoa(?) certa. Parabéns!

  • carlos gomes nogueira

    Não podemos ser racistas. Afinal o Brasil é um país de população de maioria negra! punto e basta!
    Não adianta fingir que não é!
    e outra é um país ainda injusto e de tributação criminosa!
    Atualmente passando do estágio industrial para voltar a ser uma nação exportadora de bens primários!

  • yacov

    Nâo viaja, Erika!!! Afinal, como já nos ensinou o Graaaaaaaaaaande soçiólogho Ali Kamel, ‘Nós Não Somos Racistas!!! Não tem racismo no Brasil. Racismo no Brasil, é que nem Chifre. Não existe!! É coisa que botaram na sua cabeça…

    “O BRASIL PARA TODOS não passa na gloBo – O que passa na glObo é um braZil para TOLOS”

  • Cara amiga e mãe. esse é o jeito GLOBO de pintar o BRASIL…
    Continue comprando as revistinha para brancos, póis eu sou NEGRO e não gastaria um tostão se quer com essa publicação..
    E viva o BRASIL…

  • Fabrício Alves

    Não, o Brazil não é racista!!

  • José Amorim

    Parabéns a Mãe e Jornalista Erika. Se mais cidadãos brasileiros tivessem esse tipo de postura, talvez as coisas em nosso país pudessem sem melhores.

  • Archibaldo S. Braga

    Ericka, estamos contigo!!! O ali baba kamel ainda fala com a candura que lhe é pertinente “nós não somos racistas!” CRÁPULA!!! Braga

  • Urbano

    Os abissais foram os primeiros a não crescerem… Ainda que tenham três metros de altura, mesmo assim são nanicos.

  • Tá vendo só que coisa.
    Vai buscar o melhor pra você nas revistas, vai?
    Vai buscar nos livretos de auto-ajuda: como emagrecer; aprenda ter sucesso; oito maneiras de ser feliz; qualidade de vida é alimentar-se…/ bla, bla, blá…; vai?
    Bem feito, o mundão está à nossa frente…
    Querias o quê?
    Esqueces-te de comentar: “e ainda paguei pra ler tantas asneiras!”.
    Bem feito, um dia você aprende!

    Obs.: Escrevo tudo o que escrevo porque sou diferente: aceite-me!

  • Marcelo

    Racista e golpista.

  • Cinthia

    Quem nunca escutou o comentário: “Que criança linda!! Parece de capa de revista!”, sendo dirigido a alguma criança branca, de cabelos e olhos claros? Eu já! Milhares de vezes! Mas, como sabemos, e a mídia faz questão de ditar dia após dia, no Brasil não há racismo.

  • Nilson

    Resposta do Ali Kamel:
    - Como é possível observar, todas são crianças negras. Devido ao erro cometido pelo estagiário ao utilizar o Photoshopp, todas as crianças ficaram com a pele esmaecida. Foi um erro. Pedimos desculpas..

  • Edson

    “Não somos racistas”. Ao menos é o título de um livro daquele escritor …

  • Regina Braga

    E depois o neonazismo só cresce na Europa…O pig é totalmente higienista.

  • ULISSES BARBOSA

    Eles pensam que os leitores dessa revista pensão igual ao Ali Kamel.

Deixe seu comentário...

"O Conversa Afiada não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas ou que excedam 15 linhas."

  •