Segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Publicado em 20/03/2012

O dólar vai subir
e o Real descer ? Sim !

Essa é a hipótese mais provável, segundo uma newsletter do Bradesco.

Essa é a hipótese mais provável, segundo uma newsletter do Bradesco, sob a responsabilidade do respeitável economista Octavio de Barros:

Estamos em um ponto de inflexão do dólar no mundo ?


- A melhora das perspectivas para a atividade nos EUA e a sinalização do Fed de que não considera necessário um novo afrouxamento quantitativo, levaram a certo fortalecimento do dólar nos últimos dias. A pergunta que cabe é se depois de um declínio consistente desde 2002, será que estamos ingressando em um período duradouro de fortalecimento do dólar norte-americano? A questão é relevante, pois naturalmente a própria trajetória do real/dólar dependerá dessa tendência mais ampla da moeda dos EUA.


- Alguns fatores apontam a favor da hipótese de apreciação. A atividade tem exibido sinais de aceleração e a recuperação do mercado de trabalho torna a recuperação mais sustentável. Essa aceleração da atividade levou à sinalização por parte do Fed de que um novo afrouxamento quantitativo não está no radar. Por fim, os ativos norte-americanos estão atrativos (como no caso dos baixos preços dos imóveis). Contudo, diversos outros elementos jogam contra a eventual inflexão da trajetória do dólar. A promessa do Fed de manutenção dos juros até o final de 2014 não será removida no horizonte previsível, assim como não haverá reversão da expansão monetária; o déficit em conta corrente, apesar do forte ajuste observado nos últimos anos, está apenas próximo do nível considerado como sustentável, não abaixo; o aumento do preço do petróleo é um choque desfavorável nos termos de troca; os EUA ainda devem enfrentar a tarefa de ajustar o elevado déficit nominal do governo federal; os investidores globais possuem mais dólares do que parece ser desejável a longo prazo. Além disso, considerando as políticas macroeconômicas dos outros países, concluímos que três grandes regiões estão conduzindo políticas ou passam por situações que resultam em forças para que suas moedas se depreciem em relação ao dólar.


- Dessa maneira, talvez seja cedo para uma conclusão definitiva sobre a trajetória a ser esperada para o dólar nos próximos anos. Eventuais deteriorações da aversão ao risco poderiam levar a um fortalecimento da moeda norte-americana nesses momentos de tensão, contudo, com exceção desses períodos, a direção mais provável parece ser a de estabilidade do dólar, provavelmente com alguma combinação de fortalecimento em relação aos países desenvolvidos e ainda algum enfraquecimento em relação aos emergentes.

Conheça também nosso site: economiaemdia.com.br

 

Em tempo: o Conversa Afiada recomenda a leitura do excelente artigo de Delfim Netto sobre bruxaria, na Carta Capital desta semana, onde ele diz:

Para reanimar a economia brasileira não existe nada mais importante do que baixar a taxa de juros. É absolutamente natural o corte de 0,75 ponto da taxa básica, decidido na reunião do Copom na segunda semana do mês de março. O Banco Central está agindo prudentemente e com medidas corretas. A taxa real dos juros no Brasil continua sendo a maior do mundo. Seu nível é extremamente prejudicial do ponto de vista da eficiência do funcionamento do sistema econômico, adiando investimentos e inibindo exportações dos setores mais dinâmicos da indústria, graças à supervalorização do real.


Haverá sempre quem faça críticas acenando com os riscos de uma recidiva da inflação (em 2013!), já que mesmo os mais céticos se convenceram de que em 2012 ela está se comportando como esperava o governo, na direção da meta de 4,5%. Existe um certo esforço de bruxaria nesses ensaios, pois as conclusões dependem do modelo de análise que os críticos estão usando, das relações que estão dentro desses modelos, da qualidade das estimativas e das convicções dos analistas. Dependem, também, da crença de que “o governo está morto”.


A hipótese é que “tudo vai continuar como está”: o governo não vai agir, “já fez o que tinha de fazer” e vai esperar de braços cruzados a inflação voltar, ou seja, a própria hipótese nega a existência do governo. Só que o governo Dilma está vivo e mandando bem… O Banco Central está muito mais “antenado” com a realidade econômica mundial do que a maioria de seus críticos. Tem antecipado-se aos lances (alguns próximos do desespero) das autoridades monetárias dos países desenvolvidos, que tentam transferir para os parceiros emergentes os efeitos do sufoco financeiro que eles próprios criaram.


(…)

Navalha

Chora, Urubóloga, chora !

(Ah, desculpe, amigo navegante, não devemos importuná-la nas férias. Clique aqui para votar em trepidante enquete: o que vai acontecer com a Urubóloga de férias ?)

 

Paulo Henrique Amorim




Comentários

  • ezequiel

    odeio isso.Esse lixo do Dólar não para de super,e a culpa é de quem?desse governo do cão..
    Quem sofre com isso?claro q é a população,quem viaja,pode parar.Quem comprar produtos fora do Brasil,pode esquecer tb,isso é o meu caso.Aq tb tudo fica mais caro,mas o governo só pensa em tem já tem muita grana,q é o caso das empresas.Q querem q o dolar se valorize..

  • Fred Azevedo

    Dólar sobe, Real desce…é a gangorra do mercado mundial.

    As medidas econômicas adotadas por Dilma nos protegerão dos especuladores e fortalecerão nossas exportações. A indústria precisa acompanhar em competitividade frente as empresas internacionais.
    Que tal, para começar, reduzirmos os encargos da energia elétrica sobre a indústria de produção e de transformação??? Que tal, Presidenta???

  • m.fóerbah

    “Se você não sabe para onde está indo qualquer caminho o
    levará a lugar nenhum”.

    Eles sabem da falência do “financismo tresloucado”, mas
    persistem na malfadada receita. Só pode estar por trás
    a Privataria,não tem outro explicativo.

  • IZA NEYDE

    A austeridade imposta pelo FMI ao Brasil pelo Falso, Hipócrita e Calhorda, com o proer dos bancos, o rasga da CLT e privatizações com a roubalheira e desnacionalizações de empresas e indústrias.

    O congelamento dos salários e aposentadorias dos trabalhadores, o aumento dos juros e dos impostos diretos e, principalmente, dos impostos indiretos criaram milhões de miseráveis, cuja fome passou a ser amenizada com o bolsa-família de Lula da Silva.
    Incharam as cidades com retirantes do campo, o êxodo rural provocado pelos latifúndios da lavoura de exportação, a exemplo das mil favelas do Rio de Janeiro.
    Os brasileiros viveram uma merda que fazia gosto.
    Mas os ladrões que operaram as privatizações estão soltos, livres e viajando pelas Bahamas e Ilhas Virgens, como José Serra. O livro do jornalista Amaury é a grande prova. Que horror!!!

  • CAFÉ DO BODE

    Os que DEFENDEM BRAVAMENTE A LIBERDADE DE IMPRENSA, não podem tocar nesses assuntos.
    Podem DENUNCIAR um desfalque de 30 mil reais no interior do Piauí, mas têm que ESQUECER para sempre o ROUBO DE 150 BILHÕES, TODO ANO.
    Os piratas roubam na conta de luz. Na conta de telefone. Foi pra isso que Fernando Henrique decidiu promover o entreguismo da privataria E criar as agência reguladoras de altos preços – as Anas, as prostitutas de luxo Aneel e Anatel.

  • Taiguara

    Juntar a imagem do Aócio numa matéria que trata de economia é uma provocação. Vejam, neste artigo colhido no blog do MINAS SEM CENSURA, o que esse “dependente cínico das drogas da dissimulação e do engodo” fez aqui em Minas.

    http://www.minassemcensura.com.br/conteudo.php?MENU=&LISTA=detalhe&ID=441

  • Alexandre

    Será?
    Deveriam taxar a especulação de divisas já. tosca ao 50% de imposto em cima da entrada de dolares de curto prazo e vamos ver no que dá.

  • rodrigo

    voces falam mal de todos e no final das contas o PSDB pode voltar a qualquer momento e là voces verao como vai ser a coisa!

  • César Augusto de Oliveira

    PHA,
    Mesmo assim precisamos deixar a lanterna do crescimento economico na América Latina.

    Estamos melhor que a Europa e USA .. e só.

  • Vantagem nenhuma. Os juros não precisavam ter subido no governo Dilma. A essa hora já poderíamos estar vivendo com juros no patamar internacional, mas o ideal seria inaugurar um novo tempo, com os menores juros do mundo, para compensar os 500 anos anteriores de exploração.

  • José do Ceará

    Mais INVESTIMENTOS,empregos e renda para o Nordeste,menos bicudos,DEMonios e assemelhados:

    Siderúrgica ANÕN: aguardando a licença de Instalação

    Publicado em 20/03/2012 – 5:24 por Egídio Serpa |

    Luiz Eduardo Barbosa de Moraes, superintendente no Ceará da Hierros Añon – empresa espanhola que construirá uma siderúrgica, com laminação, em Pecém, aguarda a Licença de Instalação da Semace para iniciar as obras.

    Estima-se que em julho os serviços de terraplenagem comecem.

    O investimento será de R$ 1 bilhão.

    OBS: O Estado do Ceará terá 02 Siderúrgicas( CSP e ANÕN)

  • Marcos Carvalho

    Não incomode a Urubóloga, ela veio para o Brasil de férias. Quando terminar ela volta aos EUB para trapalhar.

  • Lenir Vicente

    Eu leio o Delfim Netto na Carta.Ele tem uma capacidade de elevar o meu astral que só ele mesmo!

  • Claudio

    Ela vai voltar das férias e dizer: Tudo que eu falei aconteceu!
    É da mesma trupe do Cerra!

  • Bley

    A nossa elite separatista, recém-alistada no Tea Party, sequer admite o trabalhismo na gerência do capitalismo, independente dos seus propósitos: justiça social, inclusão social, distribuição mais equitativa das riquezas produzidas, direitos humanos, etc.

  • Duda

    Pelo pouco que sei de economia, acho que o dólar não vai subir pois isto encareceria o preço dos produtos norte-americanos no exterior e diminuiria a exportação, o que seria o desastre final para a já combalida economia dos EUA.

  • José Sabino

    PHA,

    Quando o articulista diz “… os investidores globais possuem mais dólares do que parece ser desejável a longo prazo. …” está cem por cento certo.

    Entretanto, quando vislumbra retomada econômica americana, há controvérsias.

    Vejam o que saiu no “Blog do Lobbo”:

    http://blogdolobbo.blogspot.com.br/2012/03/o-mineirinho-e-o-tio-sam.html

    Abraços

  • Marcos

    Míriam Leitão brinca com a “teoria” econômica. Agora vai dizer que a desvalorização do Real provoca inflação. Em alguns dias irão aparecer aquelas reportagens com senhoras no supermercado que irão “afirmar” que os preços subiram.

  • RicardoJ.

    Não pode subir! O preço do Dolar é pura especulação… Concordo com a história do “Mineirinho e o Tio Sam, neste link:
    http://blogdolobbo.blogspot.com.br/2012/03/o-mineirinho-e-o-tio-sam.html
    ;^D

  • Pra os jornalistas da grande mídia que cobrem a economia do Brasil, a capital do Brasil é Atenas.

  • Ligeovanio-MA

    Homens-divisão

Deixe seu comentário

"O Conversa Afiada não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas ou que excedam 15 linhas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Conversa Afiada."

  •