Brasil

Você está aqui: Página Inicial / Brasil / 2015 / 01 / 24 / Moro é o Ustra da Democracia

Moro é o Ustra da Democracia

A nova Cadeira do Dragão é o PiG
publicado 24/01/2015

 


O que o Moro quer ?

Tudo.

O que é tudo ?

Ele quer concluir o trabalho que a AP 470 – o mensalão, o do PT – não fez.

O que a AP 470 deixou de fazer ?

Fechar o PT de vez, imobilizar o PAC, ferrar o Lula (Ali Babá) e a Dilma, e entregar o Brasil ao PSDB e às empreiteiras americanas.

Tão simples quanto isso.

Como ?

Com a conclusão rápida da investigação e do julgamento.

Presos cumprem as penas.

E, para o contribuinte, seu dinheiro de volta.

Quer Justiça mais eficaz do que essa ?

E ainda por cima ferra o PT.

Sim, porque embora não haja um petista indiciado ou citado, o Moro já conseguiu que o PiG transformasse a Lava Jato no “Segundo Maior Escândalo da História” – do PT !

O Paulo Moreira Leite já demonstrou como ele  “julga” com o PiG.

Por que ele age assim ?

Porque é vaidoso.

É frio.

É competente.

Ao se olhar no espelho ele deve dizer: eu sou maior que o Joaquim Barbosa !

E, logo, o advogado e a Defesa que se danem  !

A Defesa passa a ser um estorvo no processo criminal.

O “método Moro” significa que o Direito de Defesa vai sucumbir no Brasil.

Como ?

Porque ele é o Ustra da Democracia ! Assim como o Ministério Público é o DOI-CODI da Democracia.

O Moro refinou os princípios do Direito na Democracia corrente: só solta se delatar.

Funciona assim.

Ele prende, não solta, oferece a delação.

O preso pensa: se me defendo, não saio daqui de dentro tao cedo e o PiG lá fora me esculhamba e a minha família.

Se delato – delato qualquer coisa – pego uma mixaria e vou embora.

Se não delato, o Moro me dá 50 anos de cana.

Vou delatar.

O Youssef, por exemplo.

É a terceira “delação” dele.

A segunda com o Moro.

Foi lá, disse o que queria, e o Moro condenou ele a cinco anos, saindo da cadeia direto para uma “domiciliar”.

Não é uma moleza ?

Em bom português, trata-se de uma “extorsão legal”.

Uma extorsão promovida pelo Estado, sob a forma de Direito.

Porque o delator abre mão de qualquer prerrogativa de se defender.

Habeas corpus, recurso, nada !

Ou fala ou fica lá dentro.

O amigo navegante já viu como isso funciona.

No DOI-CODI.

O preso só saía se cuspisse os feijões.

E qual é a Cadeira do Dragão da Democracia Morinha?

O PiG.

Se não ferrar o PT, o PiG te ferra !

Dia 2 de fevereiro a cobra vai fumar.

Acaba o recesso do Judiciário e talvez a gente saiba quem são os detentores de foro privilegiado – políticos -  que caíram na Lava Jato.

Com foro, vai para o Ministro Teori, no Supremo.

Sem foro, cai na Força Tarefa que o Dr Janot criou para a Lava Jato – e se esqueceu  do helicoca e do jatinho sem dono.

E, depois, cai nas mãos suaves do Moro.

E, a conta gotas, o Moro administra o PiG e mantém a chama acessa.

O advogado diz para o cliente: não trabalho com delatores.

Sou pelo “princípio da Legalidade”.

Eu quero te defender.

Com os instrumentos que o Direito confere ao cidadão numa Democracia.

O preso pensa.

É, mas e se eu perder ?

Eu me ferro.

Vou delatar !

E o Moro vira Rei.

Ou o Obama.

Porque ele reproduz o “método Guantánamo”, como diz amigo navegante: ameaça, faz tudo em segredo e obtém a delação que quer.

Isso o Barbosa não conseguiu !

Ser o Obama de Guantánamo ou o Rei do Brasil !



Paulo Henrique Amorim


E vote na trepidante enquete do C Af:

[poll id="875"]