Brasil

Você está aqui: Página Inicial / Brasil / 2013 / 10 / 02 / Vaidoso tenta subjugar e Barroso reage

Vaidoso tenta subjugar e Barroso reage

Barroso e Celso de Mello não se impressionam com a "opinião pública" do Vaidoso
publicado 02/10/2013
Comments

Marco Aurélio, o Vaidoso, é aquele juiz (?) que no dia do voto decisivo dos embargos infringentes publicou inacreditável artigo no Globo Overseas para amedrontar Celso de Mello.

Não amedrontou.

Celso de Mello permitiu o novo julgamento de Dirceu, Genoíno e outros petistas e denunciou a torpe tentativa de subjugar.

Agora, Luis Roberto Barroso repudia os traços autoritários - através do PiG (*) - do ministro Marco Aurélio que de um amigo navegante mereceu o epíteto de Vaidoso.


Saiu no Estadão, em estado comatoso:

Para Marco Aurélio, ministros indicados por Dilma vão mudar rumos do mensalão


(...)

Disse o Vaidoso:

""Nós já temos aí um tema que, no julgamento dos embargos infringentes, fatalmente haverá modificação. A sociedade não vai entender esse segundo julgamento, para caminhar-se para a absolvição".

"Houve, temos que reconhecer, uma decepção por parte da sociedade no que teremos depois de tantas discussões, mais de 60 sessões realizadas, nós teremos um novo julgamento".



Barroso explicitou:

"O papel de um tribunal é aplicar a Constituição e as leis corretamente, e ter a percepção de que as multidões são volúveis. Fazer o certo não é estar subjugado à opinião pública, embora se deva ouvi-la"




Em tempo: Lamentavelmente, ministros não têm mandato, como sugere o Lula.

E o do Vaidoso ainda é longo.

Paulo Henrique Amorim


(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Conversa Afiada. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com mais de 15 linhas, com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.
comentários do blog alimentados pelo Disqus