Sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

Publicado em 07/11/2011

Quem matou o cinegrafista da Band ?

O primeiro suspeito é a empresa, a Band, que autoriza seus profissionais a assumir riscos que nenhum jornalista deve assumir.

 

Jornalista não é policial

 

O primeiro suspeito é a empresa, a Band, que autoriza seus profissionais a assumir riscos que nenhum jornalista deve assumir.

Jornalista não é policial.

O segundo suspeito é o diretor de jornalismo da Band, que, provavelmente, não fez seguro de vida para a família do cinegrafista.

O terceiro suspeito é, de novo, o diretor de jornalismo da Band, que permite transformar jornalistas em protagonistas: jornalista não compete com policial nem com traficante pelo protagonismo de uma reportagem.   

Além do mais, para o espectador, que diferença faz se as imagens de um tiroteio com traficantes são do cinegrafista da Band ou da própria polícia ?

E mais: por que novas imagens de tiroteio com traficantes ?

Que novidade têm ?

Que informação adicional dá ao espectador ?

Qual a diferença entre o tiroteio de ontem e o tiroteio de hoje ?

Por que os cinegrafistas só filmam da perspectiva da polícia para os traficantes e, não, dos traficantes para a Polícia ?

Porque o jornalismo brasileiro não sobe o morro.

Só entra na favela com a cobertura da Polícia.

O que se passa lá dentro – para o bem ou para mal – não interessa.

O quarto suspeito é o policial que autorizou três equipes de televisão a acompanhar um tiroteio com traficantes.

O quinto suspeito é o Comandante da PM que permitiu que um policial admitisse que três equipes de televisão acompanhassem um tiroteio com traficantes.

O sexto suspeito é o Secretário de Segurança do Rio, que permite que uma ação policial se transforme numa reportagem espetaculosa.

Para o Bom (?) Dia Brasil, porém, num mau passo do Chico Pinheiro, a morte do cinegrafista da Band é uma restrição à liberdade de imprensa.

O tom da cobertura do Bom (?) Dia Brasil foi o de incriminar a política de segurança do Rio.

Como se sabe, a política de segurança do Rio é exemplar.

Combate o tráfico como nenhuma outra do Brasil – como se sabe, São Paulo consome mais carro, geladeira e viagens a Disney que o Rio, mas, cocaína, isso o Rio consome mais.

O projeto pioneiro das UPPs é um sucesso.

Mas, a política de segurança do Rio tem um grave defeito para o jornalismo dirigido pelo Ali Kamel, esse baluarte da liberdade de imprensa para divulgar atentados com bolinhas.

A segurança do Rio não é a do Governo Carlos Lacerda.

Nos bons tempos do Lacerda, o Secretário de Segurança Ardovino Barbosa mandava bater em jornalistas.

Como os do jornal A Noite, na Cinelândia, em 1961, na crise da Legalidade.

(O ansioso blogueiro era foca da Noite e testemunhou a “liberdade de imprensa” dos lacerdistas.)


Paulo Henrique Amorim




Comentários

  • Guilherme

    Hoje a Bandnews chamou os torturadores do rapaz preso ao poste de “justiceiros”. Logo a Band que sofreu grave dano recentemente apoia certo tipo de violência.

  • Quem matou ele foi a gana desenfreada por imagens de ação. Não pensaram no risco. Repórter não é policia e não deve estar no fogo cruzado, isso é coisa para polícia, e uma polícia muito bem armada!!! Falta valorizar a vida e medir os riscos. Uma imagem de tiroteio não vale mais do que uma vida!

    Abraços

  • Denison Ribeiro

    Muito boa sua colocação Franklin, pois a oferta só existe quando a demanda é gratificante, é essa burguesia que sustenta o tráfico, jovens que se matam, acabam famílias para dar “prazer”
    a mauricinhos viciados!!!

  • eu acho que é a segunda vez que acontece isso na band só que desa vez o funcionario da band morreu a primeira vez foi com uma reporte que levou um tiro

  • legalista

    QUEM MATOU O CINEGRAFISTA ,JORNALISTA OU FOTOGRAFO ….realmente não importa sabem porque? Faço uma comparação com aqueles que entregam as drogas dos traficantes ” chamados de vaporzinhos”.ESSES CARAS CITADOS AI EM CIMA SÃO OS ” VAPORZINHOS DO PIG, são os que fazem os serviços de leva e traz das mediocridades que eles mesmos subservientemente e sem nenhum pudor produzem e veiculam para o PIG. SÃO TÃO DANOSOS PARA A SOCIEDADE TANTO QUANTO os traficantes e seus vaporzinhos. BANDIDO MATANDO BANDIDO, QUEREM COISA MELHOR PARA A SOCIEDADE? Jornalista, cinegrafista, fotografo que se preze e tem AMOR a seus filhos e aos demais filhos dos 190.000.000 milhões de BRASILEIROS , NÃO DEVIAM TRABALHAR NOS CHIQUEIROS DO PIG, bobeou dançou MANÉ.

  • “Hay que endurecerse…”, já falou o Che, caro Paulo Henrique. Quem matou o cinegrafista da Band foi a tolerância ilimitada das leis brasileiras e o “deixa estar para ver como é que fica” dos bananas governantes. Um abraço, nobre jornalista maior,

  • Luiz Gonzaga, da Bahia

    “Ali Kamel…esse baluarte da liberdade de imprensa para divulgar atentados com bolinhas.”

    ô PHA, dessa vez você foi totalmente feliz para explicar a necessidade da Ley dos Medios no Brasil.

    Eles, o PIG, deturpam tudo a fim de derrubar o Governo Dilma.

    Viva o Brasil.

  • rafael

    Mais importante que o tiroteio´… é o pós tiroteio…será que os jornalistas não têm capacidade ou não podem mostrar o resultado da operação policial na vida das pessoas

  • Ricardo Machado

    Entendo que a policia também tem culpa na ,orte do jornalista, permitiu a presença deste no meio do conflito. Afinal a policia tem que fazer valer o principo da precaução e prevenção junto a sociedade.

  • PHA, seu comentário é um bálsamo, um alívio para minha mente inteligente ( nem tão inteligente ) , mas que por vezes se vê oprimida diante da constante chuva de asneiras do PIG. “E então me desespero” e busco refúgio aqui…
    PHA é realmente incrível , que muito pouca gente pare para pensar no que você abordou: a informação deveria “adicionar”…
    Ave CAF!!!

  • Edivelton Tadeu Mendes

    Quem matou o cinegrafista e muitos outros brasileiros, foram os membros do Congresso, que fazem vista grossa ou agem como nada saber sobre o crescimento em exponencial do crime.Sendo que os criminosos ficam sem responder pelo ato, pois sempre entram com recurso contra a pena, e o criminoso, agurda o resultado do seu recurso em liberdade.Não é uma maravilha ser criminoso no país dos tolos – Brasil?

  • EUDES

    À EQUIPE DE MODERAÇÃO: SE FOR PUBLICADO O MEU COMENTÁRIO, FAVOR SUBSTITUIR POR ESTE, DEVIDAMENTE CORRIGIDO. AGRADECIDO, EUDES.

    Lamentavelmente, o Cinegrafista faleceu. Faleceu em meio a uma saraivada de balas – no cumprimento do seu trabalho- resultado do confronto entre traficantes e policiais. Jamais poder-se-á atribuir à falta de liberdade de imprensa, como afirmam Chico Pinheiro (Bom dia Brasil); Fátima Bernardes (JN) e a Patrícia Poeta (Fantástico). Pura fatalidade, estúpidos!. Pergunta que não se cala: Em que lugar do mundo o Pig vai encontrar tanta liberdade?. Quem se pretende atingir?. Posso até ser deletado através da moderação da C. Af., mas não posso deixar de afirmar: Três programas, a mesma intenção, o mesmo Diretor de Jornalismo !!!

  • Nelson Alves

    Parabéns PH, sensacional o seu comentáro sobre a morte do jornalista da Band. Seu texto é definitivo! Como disse um outro companheiro acima você é realmente o CARA!
    Grande e fraternal abraço!

  • edilson matias guedes

    Parabéns PHA, concordo com tudo que voce escreveu, só faltou falar do Datena em por a culpa nos Ateus.

  • marcelo

    A sociedade brasileira é medíocre, principalmente a imprensa, o cinegrafista não foi o primeiro e não será o último ser humano a morr er nas mãos de vagabundo, do jeito que esta sendo exposto dar a enteder que o único ser humano que tem obrigação de morrer é o policial, quantas pessoas anônimas perdem a vida diariamente no Brasil de forma violenta, precisa algum funcionário de emissora ser morto para a imprensa ver a realidade que vivemos.
    Olha a imprensa se preocupando com 70 vândalos e maconheiros que depredaram a reitoria da USP esses playboys tinham que ser expulsos e o jornalismo os trata como se fossem revolucionários, essa é a qualidade do nosso jornalismo.

  • Cristina Assef

    Perfeito,PHA, vc também é o “Cara”

  • Dárcio Argento

    Concordo, mas essa guerra só tende a acabar quando acabar o proibicionismo às drogas. A proibição às drogas gera toda essa violência e já mostrou que não tem eficácia nenhuma, mata-se um traficante amanhã tem outro em seu lugar. Pq? Porque os verdadeiros barões da droga, aqueles que lucram de verdade com tráfico e esquentam o dinheiro estão bem longe de qq favela, normalmente são as capas da revista Caras e outras. As drogas nunca foram problema pra humanidade. A humanidade SEMPRE se drogou, não indício de sociedade que faz/fazia uso de algum tipo de droga. Vê-se que o problema não é a droga em si, mas sim a forma mercadoria e a proibição.

    • Petro

      Pois bem meu caro, até concordo que a droga seja liberada, mas desde que seja no mundo todo.
      A nação que preza por seus cidadãos cuida deles para que se mantenham bem em todos os sentidos.
      Seria tranquilo e fácil invadir um país cuja população está aniquilada, destruída pela droga. Quria eu ver a população Paraguaya em estado de “noia” e sendo invadida, sem dificuldades pelo Brasil. Proteger uma nação dos males é uma questão de soberania.

  • Gerson Chagas

    PHA, parabéns pela tétrica radiografia do sinistro. Diria que , assim como os motoboys que enfrentam jornadas insanas e prazos inexequíveis, o cinegrafista (consta que era contratado como operador de câmera, portanto, configurando-se claro desvio ilegal de função) era obrigado a se expor a riscos absurdos, para cumprir a pauta dos programas ancorados por indivíduos dotados de voz possante, trajando terno que lhes disfarça a protuberância abdominal , relógios e pulseiras extravagantes, apresentando-se na condição de hipócritas paladinos da justiça, quando não passam de ardilosos arautos da desgraça alheia, midiáticos vampiros que se banqueteiam no repasto de uma sociedade marcada pela debilidade cidadã.

  • Teresa Barbosa

    Quem matou foi a ganancia dos que detém o poder nas mãos

  • Olá, amigos e amigas,infelizmente quem contribui para mais uma morte nesse país,foi a omissão do poder público, seja ele, Federal, Estadual, Municipal com a sua falta de politicas, que atendam as pessoas que vivem nestas areas carente, cada um com suas devidas responsabilidades, a verdade é uma só incopetencia de governantes e não precisa de especialista nenhum para ver isso, e aponta a solução que esta vindo depois de décadas de governo paralelo nestas regiões,não sei o que levou o governo a reagir, copa do mundo, presão popular ou chegou no limite mesmo, não interessa o motivo, desde que resolva, pois pessoas são pessoas, e elas morrem diariamente por terem seus direitos basicos negados,por incopentencia de muitos gestores públicos,que por sua vez são especialistas em acharem culpados e não as soluções.
    Abraços!

  • marcelo

    Que sociedade medíocre, precisa morrer um cinegrafista para a imprensa pereceber que a vida de uma pessoa não tem preço, para a imprensa é natural quando um policial morre ou um joão qualquer. Maldita imprensa brasileira que não faz um trabalho sério e profissional.

  • Myriam

    Que texto ótimo. Lúcido. Explicativo. Real jornalismo.

  • Paulo Barbosa

    Nesse caso o jornalista da Band tem a sua parcela de culpa também. Ele bem poderia ter se negado a fazer esse tipo de trabalho. Certamente se esse jornalista não fosse morto naquele episódio, no final do ano, quando todos os jornalistas que fazem as chamadas reportagens de risco, recebem seus troféis, lá estaria ele presente para receber o seu troféu por ter feito uma reportagem tão arriscada.
    Mas infelismente o destino não quis assim. De uma coisa o ser humano não pode de jeito nenhum esquecer: Todos nós nascemos com os nossos dias contados e determinados pelo nosso Deus, Criador de todas as coisas. Chegando o dia determindado, não tem jeito. Vamos prestar as nossas contas. As minhas mais sinceras condolências a todas a pessoas tristes e pesarosas, por esse fatídico acontecimento.

    Paulo Barbosa – Americana – SP

  • Norival A.de Oliveir

    Paulo Henrique, que bom ver seus comentários a respeito do drama sofrido por seu colega de imprensa. É lamentável que, dias depois, vem a notícia que policiais do Rio davam cobertura para a fulga do Nem, no porta-malas de um carro e que tudo foi descoberto pelo lado bom da Polícia do Rio. Penso eu que para os policiais do bem, é duro conviver com outros policiais e políticos corruptos, que põe tudo a perder, muitas vezes, em defesa de temas como a liberdade de imprensa, nessas horas, usados como pano de fundo para esconder seus reais interesses. Mesmo assim, que bom que você nos brinda com comentários desse nível…parabéns.

  • Nilton Primo

    gostaria de acrencentar uma coisa!

    acredito eu que,o fabricante do colete aprova de balas, tambem tem culpa! tem de ser feito uma perecia por pessoas competentes (se existe nesse pais) para saber se os coletes sao mesmo eficazes.

  • Nilton Primo

    Desculpe-me! quando votei nesse materia cliquei no polegar para baixo.

    Paulo Herique,eu simplismente sou teu fan….valeu pela materia.

  • Carlos POA

    Foi a primeira coisa que falei ao assistir a “reportagem” (??): que diabos faz um jornalista/cinegrafista ( ou melhor, vários)numa frente de guerra entre polícia e traficantes? Pra que correr esse risco? Tiroteio dá IBOPE (ainda)?
    A segunda coisa que falei foi justamente sobre a cara de pau dos editores do JN dizerem , na voz da Fátima, que isso representa ” mais um atentado a liberdade de imprensa”. Isso é o que eu chamo de publicidade enganosa ( chama o CONAR!!)

  • Rosângela

    O telespectador também tem sua parcela de culpa por dar ibope a matérias como esta. Ora, use o controle remoto e escolha melhor as matérias a serem vistas. Tem mais, a troco do que ficar assistindo matérias que não agregam em nada?

    • Leda Lucas

      Concordo com você. Mas, acho, que as mentes – não da maioria – estão embotadas.
      Só sabem ver os mesmos canais. Têm todos os mesmos pensamentos.
      Não é para isto que serve estes tipos de programas a que a maioria está obrigada a assistir?

  • Sérgio

    PH, vc realmente é um gênio. Esse seu texto é um dos mais espetaculares e coerentes que já li. Parabéns!!! Concordo absolutamente com tudo.

  • PCFerreira

    Por que os cinegrafistas só filmam da perspectiva da polícia para os traficantes e, não, dos traficantes para a Polícia ?

    Porque o jornalismo brasileiro não sobe o morro.

    Só entra na favela com a cobertura da Polícia.

    ???!???!???!????!?!?!?!? Traficantes ? Traficantes ?? A perspectiva deles ??

  • Dinha

    A culpa é da empresa que deve obrigar os jornalistas a se prestarem a isso e aos telespectadores que assistem tais programas. PH já viu o vídeo de protesto do pessoal no jornal Hoje de ontem? Eles gritaram: o povo não é bobo, fora rede globo! Seria bom se você arrumasse esse vídeo e postasse aqui.

  • Ricardo

    E mais. O PIG agora quer cadeira elétrica na USP.

    Há Há Há Há

  • L OLIVEIRA

    PHA expressou em seu texto tudo o que eu pensei em relação ao triste episódio. É um absurdo a empresa de comunicação permitir que seus funcionários corram tamanho perigo. E, para minha grata satisfação, fiquei sabendo hoje que o nobre jornalista também trabalhou no jornal A Noite, onde meu pai trabalhava, e que igualmente não apreciava o lacerdismo. Viva o PHA, de glorioso passado e atuação permanente em prol do jornalismo sério, crítico e de qualidade.

  • Douglas

    Lamentável o acontecimento. Mas pode-se dizer que esse tipo de sensacionalismo se dá em um grande número de empresas de televisão no Brasil. Aliás, porque o senhor “D’a”-n”tena” ganha uma fortuna falando lá com seus borbotões e os infelizes dos repórteres saem como “loucos” através de uma bala perdida? Para uma mórbida mídia que fatura alto com esse tipo de jornalismo barato e ridículo.

  • Escrevi um artigo pertinente ao tema e que levanta questões bem semelhantes. Veja em http://kleberkarpov.blogspot.com.br.
    Kleber Karpov.

  • Celio Miranda

    Servi como fuzileiro no 12° Batalhão de Infantaria do Exercito Brasileiro, utilizávamos o 762 FAL (Fuzil Automático leve), arma equivalente as usadas por traficante nas favelas do Rio de Janeiro, sei os estragos que estas amas são capazes de provocar em um carro blindado, em uma parede de concreto ou uma arvore, não tem colete que protege contra um tiro de fuzil seja ele qual for, ate porque os coletes protegem o tórax, e a cabeça? Cadê o capacete de aço? Sem os quais nem em treinamento pode ficar próximos a disparos de fuzis, não entendo como a polícia do Rio de Janeiro e jornalista se expõe desta forma!

  • 7° suspeito = sociedade que dá audiência para isso

  • Interessante. Quando crimes ocorrem no Rio o problema nunca é de segurança pública. Agora se fosse em SP…

    • Leno Lindo do Amor Divino

      Juro q n entendi seu aparte,meu nobre wérlen.Se é o q estou pensando,vc n leu o artigo todinho;como se deve fazer ao querer questionar.

  • oreste

    Foi a exclusividade!!! a busca pela audiência, no Ceará os progrmas políciais da tv, até parece que, isso é correto?! possuem rádios com a frequência da pm, ops!! isso é velado. Chega ao ponto em que os repórteres, eficientes e videntes, chegam ao local do crime até mesmo antes da polícia. Daqui a pouco, em situação de crime vão ligar diretamente para o produtor do programa.

  • Suely

    Parabéns PHA!!!!
    Sábias palavras!!!
    Seu texto expressa toda a nossa indignação com essas emissoras de TV, que em troca de um “EXCLUSIVO” estampado na tela e de alguns parcos pontos de audiência, expõem seus profissionais à toda sorte de situações. Que necessidade se tem exibir aquela correria e gritaria de PMs e repórteres, como se isso fizesse muita diferença pra nós enquanto telespectadores e, sobretudo, enquanto cidadãos.
    Quantos Gelsons Domingos ainda terão que tombar para que isso seja revisto e repensado pelos donos de emissoras de TV?

  • priscilapresotto

    O pior na foto ,é que cinegrafistas de outras emissoras ficam registrando ,a pessoa agonizando e o desespero do repórter.
    Isso é jornalismo?Cade a ética?

  • Aristóteles

    a segurança pública no HELL de Janeiro continua um CAOS!!! Salve-se quem puder!!!!

  • Ronaldo Índio

    Polícia do Rio:

    “Combate o tráfico como nenhuma outra do Brasil – como se sabe, São Paulo consome mais carro, geladeira e viagens a Disney que o Rio, mas, cocaína, isso o Rio consome mais”.

    Polícia de Sampa:

    Como se sabe a polícia de Sampa só sabe prender e bater em estudantes e manifestantes indignados com o desgoverno reinante naquele estado.

    Quem já viu a polícia de Sampa invadir uma favela e livrar a população dos traficantes e integrantes de facções criminosas? …

  • luiz

    Quem é o culpado? simples, ele mesmo, o cinegrafista. Esses caras (cinegrafista, reporter, e outros auxiliares) são forçados a executar um trabalho de tanto risco? Eles deveriam simplesmente se recusar. Jornalista e cinegrafista não são treinados para enfrentar bandido e mais por que quando acerta um policial não há tanta comoção? quando isso acontece eles são tratados como número, estatistica é só mais um.

  • Denis Melo

    Concordo plenamente com o PH. A pergunta realmente é pertinente: por que os cinegrafistas filmam do ângulo dos policiais. E mais: o que há entre o comando da polícia do Rio (que é boa no que faz) e os diretores de jornalismo das emissoras que transformam uma reportagem num espetáculo de risco? A espetacularização da notícia é lamentável.

  • Luiz Carlos

    Lamento a morte do jornalista, concordo com você na culpabilidade da Band, e não podemos esquecer que os jornalistas também assumem os riscos na busca de uma melhor reportagem.
    Não esqueçamos do Tim Lopes, que morreu fazendo uma cobertura do consumo de drogas em bailes funk no Rio.

  • ANDRE

    Daqui a pouco o Chico Pinheiro dira que foi culpa do estado policialesco da Dilma junto com os traficantes do cartel de Ciudad Juarez e das FARC que querem cercear a liberdade de imprensa.

  • Vivian Agnoletto

    É a espetacularização da polícia e do crime.

  • Ademar Adams

    Em primeiro lugar, o cinegrafistas estava dando apoio à polícia com sua câmera, o que não é função da imprensa.
    Depois, quem atua nesse tipo de atividade, sabe dos riscos e os assume.
    Por último, não há que se falar em liberdade de imprensa como tem dito as apressadas coleguinhas. Não se trata disso. O cinegrafista estava em meio a uma guerra e o profissional da imprensa não estava no seu papel de elemento neutro.
    Lamento a morte do colega, mas não vamos descambar para apelações costumeiras dos barões da mídia.

  • LAFAIETE SPÍNOLA

    pha, a essência do problema não analisam. Não se toca na lavagem de dinheiro, principal fator!

  • E.FERRAZ

    …”São Paulo consome mais carro, geladeira e viagens a Disney que o Rio, mas, cocaína, isso o Rio consome mais”.
    Jamais soube que traficante obrigasse alguém a consumir suas drogas. Pelo contrário: o consumidor sai, espontaneamente, de sua casa, deixa família, na “calada da noite” sobe o morro, se coloca em situação degradante, só para atender ao seu vício. E, é só o traficante o culpado??
    O Tráfico tem na sociedade os seus patrocinadores.
    Só existe traficante porque existe consumidor. Causa-efeito, meu nobre, PHA.
    Tudo mais é desdobramento do problema principal: O LIVRE ARBÍTRIO DO CONSUMIDOR.

  • Yacov

    Só acho que um jornalista, como um policial, que arrisca sua vida como profissão, deveria receber muito mais que um Ronaldinho, que no máximo pode quebrar a perna, o perder o importante cargo de Embaixador do Unicef…

    “O BRASIL PARA TODOS não passa na glObo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS”

  • Sandro Chagas

    Bom mesmo seria não ter a imprensa na favela , assim só passaria as noticias de governador inaugurando 1/2 duzia de UPP , e passando para o povo a impressão que temos segurança . O que você esta querendo PHA ? Filmar do lado do bandido para que ? Para humanizar eles ? Coitados , não podem vender sua droga sem a repressão da policia ?

  • Roberto

    Sem a menor dúvida ,o responsável foi chefe de reportagem da emissora, que mandou o pobre cinegrafista para o meio de um tiroteio. E infelizmente o repórter não pensou que é melhor perder o emprego do que a vida e devia ter mandado o chefe para aquele lugar. Agora não adianta a Band chorar o leite derramado e mandar o Datena botar a culpa nos políticos,que é o que ele ridiculamente só sabe fazer.

    • ceci

      Concordo com você, Roberto.
      A band poderia mandar o tal Boris, do alto da sua arrogância, ignorância humana, política e solidária.
      Meu estômago arde e minha alma ferve ao ver tanta imbecilidade desses, que infelizmente, fazem e comandam o noticiário e tudo o mais nas tvs, como band, globo, sbt. Desejo ardentemente que nossa presidenta trate rapidamente sobre a Ley de médios. Os civitas já avisaram o que pretendem.
      É um absurdo esse descalabro dessa mídia inescrepulosa.

      • MARCELO

        Se o Boris fosse petista,não mandaria este mail,né,
        Bicicleta Ceci?Ley de Medios é coisa de brasileiro
        colonizado argentino.Eles compraram a Copa de 78!

  • Adilson

    Assinado em baixo.

  • Tiago Duarte

    Este morreu para alimentar a fome de desgraças de programas como o Brasil Urgente e o Balanço Geral.

  • Fred Azevedo

    Você foi foca nos tempos do Lacerda, PH?! Você realmente tem bagagem meu velho novo amigo!!!

    Lamento a morte do cinegrafista da band’ireita…
    A emissora tem que indenizar a família com uma pensão vitalícia, tendo feito seguro de vida, ou, não…
    Os donos destas emissoras, com reis em tabuleiros, mandam seus peões para front…
    Só para voltarem ao poder… (não sei por que cargas d’água a direita quer voltar ao poder, pois quando tiveram por 500 anos, nada fizeram).
    Se querem novidade, o dono da band poderia jogar uma luz sobre a compra de emendas da ALSP…isso sim, é notícia! Mas a band’ireita não divulga?! Por que será, amigo navegante (fã de colonistas)!?

  • Se legalizar a maconha e ficassem só de olho na Cocaína ou no Crack o problema já séria bem menor, a maioria do pessoal que vai nas bocas é pra pegar maconha, Cocaína se compra na faculdade com o colega playboy. Essas noticias de tiroteio é que nem de carro bomba no Iraque, todos assistimos indiferentes, não é onde nos estamos mesmo, se morre 10 ou morre 20 ninguém tá nem ai, então é pura sacanagem arriscar a vida dos cinegrafistas atoa, melhor séria enviar para filmar o rosto dos políticos corruptos que estão espalhados como um câncer no nosso país.

  • Milton Quadros

    Despacham o cara, ou deixam o cara ir, para a linha de fogo com colete que não é Nível III (resistente a bala de fuzil) e ficam agora com essa comoção. Cadê o sindicato?

  • Pablo

    Qualquer tipo de DROGA nefasta e proibida, é caminho da morte, ha tantos e tantos exemplos, porem como diz um navegante nosso, o beira mar é um artista televisivo” existe o apogeo do crime seja organizado ou não, e isso as belas e corretas emisoras de tv aberta o difundem a contento. agora a pergunta que não quer calar, Cadé a Lei de Medios? cadé o Exmo Sr. Ministro Paulo Bernardo, o por que até o momento não se fala um ápice dessa bendita Lei? para o Povo da Nação Brasilis ter pleno conhecimento de causa, até quando? Povo Unido Jamais será vencido.

  • Zapata

    apresentadora do jornal hoje da globo fala em “atentado a liberdade de imprensa”. meu cérebro explodiu! a globo realmente não tem princípios. ou ela pensa que o brasileiro é burro e pronto.
    tive pena da dona sandra anemberg, ter que dar a noticia assim.
    vai ver ela merece.
    Globo-jornalismo de espetáculo!!!

    • Francy Granjeiro

      Viu garfe do jn da noite??
      O casal 45 se ambananou rapinho simularam outro episodio e deu certo, mais com carinhas de maracujá
      he he he….es pe ta cu lar…kkkkkkkkkkkk

  • Edson

    O vício está enraizado em toda sociedade, a diferença é a droga que cada classe pode pagar.
    Quem tem grana cheira pó, injeta heroína, toma extasi.
    Quem tem pouca grana fuma uns baseados.
    Agora o pior é a epidemia de crack.
    A solução é prender o viciado junto com o traficante.

  • Roberto Ribeiro

    “Um atentado à liberdade de imprensa”, Sandra Annenberg, Jornal Hoje (hoje).
    Discordo, o jornalismo cara de pau praticado pela Globo e demais integrandes do PIG, é um atentado à Democracia.
    Expor profissionais para produzir reportagens sensacionalistas em busca de míseros pontinhos de audiência.

  • “Quem, poderia afirmar de sã consciencia, que se fosse a TV Globo e sua equipe, teria acontecido esse fato?”

  • legalista

    E O APELO CONSUMISTA QUE TODAS AS TVs FAZEM , o cosumismo MATA tambem igual a BALA DE FUZIL, a nossa vida e sobrevivencia depende de um COLETE DE SEGURANÇA QUE SE CHAMA … LEY .. DE … MEDYOS…. e ja esta passando da hora .

    • MARCELO

      Que bom que existe o consumismo.Quem não gosta
      é playboy da USP que compra droga e põe a culpa
      nos favelados.NÃO QUERO LEY DE MEDIOS PORCARIA
      NENHUMA.Pelé jogou muito mais que Maradona,cara.
      Aqui é Brasil!

  • pedro - ba

    Concordo inteiramente com o jornalista PHA e com a maioria dos comentários dos internautas. Mas há de se registrar a lamentável perda de uma vida humana, “obrigada” pelo patrão a acompanhar policiais em missão que deveria participar apenas policiais treinados, com o propósito único de produzir um “furo de reportagem” para a emissora ganhar ibope. Com relação ao Chico Pinheiro, depois dos cabelos grisalhos, está seguindo a cartilha da direção da emissora. É um discípulo do Alexandre Maluf Garcia.

  • silvio fontana

    A culpa, é óbvio, é do patrão (que eles, os jornalistas, chamam de colegas). A culpa é da Band, como seria da Globo, da Record e de qual mais empresa jornalística que permitisse seus funcionários se exporem desta maneira desnecessária. Por tudo que você falou, PHA, é óbvio que a culpa é do patrão. Os riscos do negócio são do patrão e não dos empregados. Mas sabe como é, talvez os cipeiros da Band vão constatar “ato inseguro” do empregado e não “condição insegura” pelo lado do patrão. O mesmo aconteceu com Tim Lopes, que foi autorizado a voltar à favela mesmo com imagens suficientes para a matéria. Ele foi pela última vez e não deu certo. O mesmo com este pobre moço, o Gelson Domingos. E você falou tudo, qual a diferença de um tiroteio a mais ou a menos. Só poderia ser para o boquirroto do Datena, que passou a tarde desancando a segurança pública do Rio para tirar o dos seus patrões da reta, ter imagens e dizer: “põe na tela”. E o Boechat, agora à noite, também criticou. A matéria do Jornal da band “denunciou” 16 milhões de armas nas mãos da população. Fica a pergunta: de que lado a Band fcou, através de seus ácidos editoriais, nsa questão do desarmamento?

  • Arthur Schieck

    É impressão minha ou os funcionários da Band são os únicos de preto? Seria o “Reporter Caveira”?
    Colete preto, quem usa, é o BOPE!

  • Marlon

    Quem matou o jornalista? Os mesmos que apoiam a marcha da maconha, que usam maconha, cocaína e outras tantas drogas.Agora veêm um chefe de familia morto no execicio de sua profissão, uma esposa chorosa, filhos órfãos e os netos sem o avo. Ainda assim vão continuar a apoiar a marcha da maconha?

  • Duda

    Quem matou o cinegrafista foi o PIG, que expõe seus funcionários a grandes riscos sem uma proteção confiável, para economizar uma graninha.

  • Reg

    Agora o lado prático da tragédia da morte do cinegrafista e todos os outros que trabalham na cobertura policial, eles teem seguro de vida?
    Será que a família, depois do desrespeito dos meios de comunicação, por meio do aproveitamento político de sua morte, irá amparar a família dele?
    Estamos de olho.

  • Marcus

    A indústria do sensacionalismo é a grande culpada. No Brasil, a desgraça alheia é explorada o ano inteiro. O brasileiro acorda, e quando liga a TV, esta lá, mais desgraça. A mídia adora idolatrar bandido. Toda hora o nome do Fernandinho Beira-mar é citado em jornais. Tem que parar de citar nome de bandido na tv, eles devem é sumir do noticiário, p/ acabar com esta promoção do crime organizado. P/ o bandido, ter o nome citado, é sinal de poder.

  • josé gilvar gonzaga

    Quem matou? foi os terroristas da Farc que financia o pt do LUla e da Dilma. Isso pode poderá ser a manchete da revista veja, ou de qualquer jornaleco que estão tentando desestabilizar o governo Dilma. Deles (PIG) podem esperar qualquer coisa.

  • Luiz henrique

    eu ouvi os reacionarios fundamentalistas no bom ? dia BR falando de atentado a liberdade de imprensa, mas eu estava tomando cafe e achei q nao tinha ouvido direito. Depois eu ouvi a mesma coisa no jornal hoje e fiquei pensando, sera q eles, os recionarios intolerantes, acreditam q o sujeito q deu o tiro q acertou no cinegrafista, o fez de proposito? q o atirador mirou no cinegrafista c o intuito de impedir seu trabalho, p q a band nao tivesse essas imagens e c isso calar a imprensa? se c um “acidente” de trabalho ja estao falando isso, imaginem quando o governo apresentar um projeto de regulacao da midia, eles, os reacionarios radicais extremistas, vao ate “escumar” no canto da boca de tanto xingamentos!

  • Nao que estejam erradas as acusacoes e afirmacoes do texto. Mas novamente, quem tem culpa em um assassinato e o assassino. O resto e uma questao de dinamica social, parametros de profissionalismo, e outros maus calculos. A Band tem sim toda a responsabilidade dos erros que cometeu. De fato, nada novo ha em se noticiar o que noticiam diariamente. Nao e valor jornalistico, e valor popular, de consumo. Portanto, pra mim o unico culpado verdadeiro de tudo e a sociedade.

  • Rogério

    É possível ver o projétil no vídeo da Band! Ele passa vindo do morro, e não da casa em frente, no canto direito superior do vídeo, bem abaixo do símbolo da Band, um segundo antes do policial abaixar. Confiram!

  • Lampião

    Que texto sensacional! Parabéns PH!

  • Digger

    Para aumentarem os índices de audiência e fazerem sensacionalismos. Os mandachuvas do PIG, determinam que seus repórteres cinegrafistas, trabalhem em zonas deflagradas com altíssimo risco de morte. E pior, sem a mínima proteção individual contra armamentos de guerra.
    É revoltante presenciarmos no dia-a-dia,jornlistas serem enviados para cobrirem esses locais de confrontos, onde somente as forças militares estão equipadas e preparadas para enfrentarem esse tipo de crime.

  • Semianalfabeto "Classe C" em Brasília

    Gente! Não é só playboyzinho que usa droga não. Tem muito ferrado aí que gosta da parada. E tem até trabalhador, chefe de família e tudo mais, infelizmente.

    A droga é uma desgraça tão grande que acaba até com quem não a usa.

  • CID COSTA

    A única culpada é o Grupo Bandeirantes de Comunicação.
    Primeiro pela total IRRESPONSABILIDADE de permitir que seus repórteres utilizem um colete que não é a prova de tiros DE GROSSO CALIBRE. Ora, até minha vovózinha, sabe que nessas intervenções na comunidades, a polícia é recebida não com arco e flexas, estilingues, ou armas de pequeno calibre ( 22 ou 3 oitão ) são recebidos sim com tiros de FUZIL, METRALHADORAS, GRANADAS, e, outros artefatos belicosos. Agora, se o grupo BAND, não pode ter a proteção devida dos coletes especiais, então NÃO ENVIASSE seus repórteres À ZONA DE CONFRONTO, aliás para que? para filmar saraivadas de balas de novo?? para que ? para alimentar o baixo nível da emissora? Porque não apanhar nos arquivos, as imagens da semana retrasada, ou do mes passado, é tudo igual…
    Então se há um culpado é o Sr. João Saad e seus diretores.

  • Luiz Oliveira

    Culpado são eles mesmos que alimentam essa hidra do sensacionalismo barato…..Um morre e colocam-se outros dois para cobrir mais áreas pobres com seus moto links da demagogia barata

  • alguem

    Quem matou foram os alunos da USP que querem fumar apenas um “baseadozinho” sem serem incomodados!!!

    Hipocritas, agora estes playboys tem o sangue do jornalista nas mãos!!!

    Quem usa drogras financia a violência.

    • Semianalfabeto "Classe C" em Brasília

      Ótima! É isso aí!

    • Tomas

      Se vc não sabe a principal fonte financeira do maior grupo do crime organizado no Rio de Janeiro (as milícias) não são as drogas.
      Quem compra gás com eles está financiando o crime. São culpados?
      Quem compra gatonet com eles tb?
      Me desculpe, mas ou é inocência ou burrice.

      • MARCELO

        Burrice é ver os playboys que não gostam da “gente
        diferenciada” comprar drogas nos morros.É a
        gentalha falsa moralista que não quer metrô em
        Ipanema para não topar com pobres,senhor Tomás.

  • Hélmiton Santos

    Umas perguntas óbvias: será que o colete fornecido pela emissora era o mais adequado para a atividade que ele exercia? estava com prazo de validade em dia? o equipamento estava sendo usado de forma correta? a empresa tinha conhecimento de que seu funcionário estava se expondo a alto risco de morte e permitiu? no juramento do desempenho profissional ele aceita colocar a própria vida em risco na busca do furo josnalístico?

  • Erick Tomas

    No local haviam 3 equipes de reportagem. Da Globo, Band e Record. Narrando e registrando troca de tiros de ângulos diferentes. Todos os lances como se fosse uma partida de futebol. Registrando o Counter Strike da vida real! Tudo pra ter exclusividade de alguma imagem chocante. E conseguiram.

  • Otávio Galvão

    No entanto, a discussão que se vê no Bom (?) dia Brasil não é a respeito da possibilidade de jornalista cobrirem esses eventos violentos, mas quanto ao dever do estado de oferecer coletes à prova de fuzis, que hoje são privativos da polícia, poder judiciário e forças armadas. Então, aí está o culpado. Não deram um colete á prova de balas pro cinegrafista, que, sabe-se, é correspondente de quem manda e desmanda na terra sem lei (das comunicações…)

  • JOACIL CAMBUIM

    É impressionante como, de acordo com a grande mídia, o Rio de Janeiro consome muito mais cocaína do que São Paulo. Do mesmo modo, é interessante como São Paulo, embora seja o “coração financeiro” do país, quase não existem grandes escândalos de corrupção. É uma terra de políticos e empresários honestos, inclusive a Assembleia Legislativa, que não vê necessidade de CPIs para apurar as tímidas notícias de desvios de dinheiro público. Nesse quesito – honestidade – o Brasil deveria imitar São Paulo. Note-se que as grandes empreiteiras que atuam em São Paulo são – quase sempre – as mesmas que realizam obras em outros estados brasileiros.

  • Naiara Duarte

    Quando é que o PIG vai fabricar esta manchete:

    “Traficantes filiados ao PT são acusados de matar cinegrafista da Band”.

    Ficamos de alerta pois logo, logo saiu uma dessas. O PIG está querendo politizar esta morte.

  • Reg

    Quem matou?
    Já assisti umas trocentas mortes do cinegrafista, pela band, sem contar as vezes que morre no globo e outras repetidoras.
    Toda hora ele morre.
    Ainda haverá a morte dele, no lixo das 17, 19, 20, 21, 22, 23, da band e afiliadas do PIG, até arrumarem outro desrespeito com as vítimas.
    Semana passada foi o câncer do Lula, até se mancarem que o povo não gostou nadica de nada.
    Os caras não teem sentimentos, só soltam lágrimas de crocodilo.
    A família que se exploda com tanta exposição de um ente querido.
    Na maior falta de respeito aos filhos, netos, esposa e pais do cinegrafista.
    Cadê o respeito, a ética?
    Ah! ANJ não tem código de ética.

    • Leônidas Costa Andrade

      Dizem que o Datena tava igual pinto no lixo hoje, há tempo que ele tava tentando conseguir a imagem de uma morte ao vivo pra mostrar e conseguiu, ainda por cima com o direito à comoção por se tratar de um colega de emissora, foi uma festa!.

  • Alice

    Esta midia que está aí, sangra seus próprios funcionários para vender notícias nojentas todos os dias ao povo brasileiro que está cansando de ver sua tela gotejando sangue. A Lei de regulamentação da mídia é urgente. O Bernardo é sim um fraco.

  • alguem

    Com certeza foi uma ONG, finaciada com dinheiro público, administrada por alguém de esquerda, destinada a subverter os “estudantes” da USP a fumarem maconha.

    Espera mais um pouquinho…que já, já o PIG vai dizer que a culpa é do Presidente Lula.

    Claro!!!

    Quem mandou ele elevar a renda da população?!
    Agora o PIG tem que produzir programas sensacionalistas ( Põe na tela…Põe na tela….pra mim!!!) para que essa massa cheirosa desfrute-os nos seus aparelhos de TV novinhos em folha.

  • Enquanto persistir a formação de policiais como está, teremos tiroteios, mortes de inocentes, “balas perdidas” etc.

    Quem já viu alguma faculdade de engenharia, formar advogados? Quem já viu alguma faculdade de direito formar médicos?

    Pois é, das escolas de polícia que temos, saem políciais, estes que vemos na TV, participando de tiroteios todos os dias. eles não foram treinados para outra coisa, e não sabem fazer outra coisa. E o que é pior, não conseguem acertar um elefante a 10m de distãncia. Já vi reportagem na TV, onde o policial coloca seu fuzil automático sobre a cabeça e a defensa da rodovia e se escondendo atrás dela e, aperta o gatilho, sem ter a menor idéia do que ele esta acertando lá no morro.

  • Júlio De Bem

    Quem matou o jornalista foram os TRAFICANTES. Sustentados pelos playbos drogados. Não se filma da perspectiva dos traficantes pois eles são criminosos e a polícia não. Os policiais que tão dando a cara pra bala lá, recebem um soldo fudido pra tentar coibir a ação desses BANDIDOS. Cadeia pra USUÁRIOS de DROGAS e TRAFICANTES.

  • Ramiro

    Se o exército não permite o uso de coletes nivel 3, a Band já sabia. Tomas as emissoras sabem. Portanto, num mundo perfeito seria CRIME enviar alguém absolutamente desprotegido, vestido com uma camada inútil de kevlar, fino demais pra suportar um tiro de 7,62mm. O Estado sabe qual o armamento “padrão” do tráfico e leva os cinegrafistas pra passear: culpados também. Mas a BAND….Eles insistem na vergonhosa afirmação de que o cara usava um colete apropriado. Apropriado seria um colete de 5 mil dólares, da Pinnacle Armor, o SOV-2000, chamado de Skin Dragon (pele de dragão, devido a disposição de placas de kevlar que dão aspecto característico de escama). Um video mostra o colete ser atingido 10 vezes por um AK-47, a 10 metros! Não passou nada. Com ele, o cinegrafista teria fraturado uma costela…

    http://www.youtube.com/v/RphBEyu4GoY

  • ricardo silveira

    Atentado à liberdade de imprensa é a Globo continuar no ar enganando a população.

  • Carlos

    Tanto não é um atentado à liberdade de imprensa, que eles estavam lá para registrar o ocorrido. Mas que pig golpista! Falam isso para a população temer pela perda da liberdade. É de propósito mesmo.

  • Lili X

    Assisti ao Bom (?) Dia Brasil hoje e pensei a mesma coisa quando ouvi o Chico Pinheiro dizer que foi um atentendo à liberdade de imprensa. Que absurdo, as empresas não dão condições de trabalho, impõem que os jornalistas se arrisquem dessa forma e ainda vêm falar de liberdade de imprensa? Deviam ter vergonha na cara e fazer um mea culpa. É hora de a imprensa repensar verdadeiramente o seu papel. Ninguém aguenta mais isso.

  • geisa

    e a empresa que cede um colete a prova de bala PRETO????
    O cara tava igual aos policiais….Tava pedindo que atirassem no funcionario….

  • Ademar do L. L. Vila Nova

    A BAND matou o jornalista !

  • Reg

    Para o partido político de oposição, vulgo PIG, o fim justifica os meios e a morte do cinegrafista, para eles, representa apenas mais uma matéria a ser veiculada na campanha política que se inicia em 2012, ou ontem, hoje, sei lá.
    Espero que os familiares não aceitem o uso político da morte de seus entes queridos, posto que seria de extremo mau gosto e revelaria toda a podridão do PIG, também para eles.
    Mas que dizer do partido político de oposição, vulgo PIG, que promoveu a baixaria sobre a doença do ex-presidente. Para ele, o PIG, a morte do cinegrafista pode ser uma boa para a campanha.
    Bolinha de papel, quase que foi.
    Muito cuidado, povo, a próxima vítima do partido PIG, pode ser você.

  • ROBERVAL

    Gozado, PHA. Quando o repórter Hamilton Ribeiro perdeu uma perna como correspondente de guerra no Vietnan, o PIG na época não ficou tão consternado. Será que foi pq a chefia das operações estava a cargo do US ARMY?

  • maria izabel

    Eu tenho tido a impressão, que muitas destas reportagens em que passa uma quantidade enorme de policiais correndo com metralhadoras na mão, dizendo que estão perseguindo bandidos que acabaram de cometer um delito, e no fim não prendem ninguém, e não mostram vitimas nem bandidos, é coisa armada entre as policías e as televisões. [todo dia tem um episódio deste no programa do Datena] Quem tem que mudar isso são os prifissionais que se sujeitam a cobrir estes espetacúlos, que quando são verdadeiros são muito perigosos, os sindicatos tem que olhar pelo bem estar de sua classe, é numa hora desta. Não ficar revindicando liberdade, onde a liberdade demais está matando inocentes, cumprindo o que manda o patrão.

    • Yacov

      Liberdade demais???? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK… Essa foi boa!!

      “O BRASIL PARA TODOS não passa na glObo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS”

  • Claudio

    Simples PHA! Fazer sensacionalismo com os problemas do RJ, como se em SP e outros estados e países não existissem problemas maiores!
    Pobre jornalista, que morreu para dar moral ao diretor dos jornais.
    Não se lembram na ação do alemão que os jornais ficaram iguais a urubus e atrapalhando a investida dos policiais. Para tentar expor ao ridículo o trabalho do governo estadual.
    Juízo rapaziada!!!

  • Adilson

    O Que a Rede Bobo diz não se deve levar a sério. A Rede Bobo já perdeu o senso do ridículo faz tempo, ou seja, desde o dia da sua fundação. Agora, falando sobre o caso é desnecessário ao público ficar assistindo imagens de tiroteios entre policiais e bandidos. Só interessa mesmo às emissoras de TV que vivem em uma guerra de audiência. Pena que desta vez custou a vida de um inocente trabalhador. Que isso seja um ponto inicial para esses Diretores de jornalismo refletirem sobre a irresponsabilidade cometida por eles mesmos ao povo e aos seus funcionários.

  • Mauro Machado Gonzaga

    Aconteceu, foi uma fatalidade sem responsáveis, a não ser o atirador!

  • Domingos

    Não sei o que dizer!

  • Breno Vasconcelos

    Pera lá PHA. Vc pode até ter razão, mas como vc mesmo mostrou no Domingo Espetacular, seus colegas da Record também estavam lá. Podia ter acontecido com qualquer um deles. Seus empregadores são tão irresponsáveis quanto os dele.

  • Midionauta

    O Fantástico de ontem abriu a reportagem com “ATENTADO À LIBERDADE DE IMPRENSA”. Fica parecendoe que o bandido entrou na Band e matou o cinegrafista, bizarro.

  • h.moreira

    Pois é. O PIG que defende a maconha, o armamento, o rock, a esculhambação de certo que sabe.

  • Sera que os maconheiros da USP (25%, segundo as
    pesquisas jornalisticas) vão criar realmente uma cracolandia na melhor Universidade do país? Sera que não está faltando uma política de segurança pública mais severa, uma vez que já não encontramos ninguém que nunca foi roubada ou assaltada?

  • Paulo Erivan

    Quem matou o repórter da band foi o próprio pig. Aos expor seus funcionários a coberura de confrontos entre policiais e bandidos, quando quase sempre teem vítimas; sejam bandidos, policiais, moradores inocentes e eventualmente algum jornalista mais afoito, forçado pelos Ali Kamel e Fernados Mitres da vida, sempre à serviço dos patrões. No jornal hoje, da piglobo, a apresentadora anuncia a matéria da morte do cinegrafista, como atentado à liberdade de imprensa. No conteúdo da notícia e nas imagens apresentadas, não identificamos o anunciado na abertura, como se todos os espectadores fossem bobos, como diz Yacov. Claramente a notícia tenta induzir a população a achar que o repórter foi vítima da tentativa de calar a imprensa, quando na realidade, fomos vítimas, todos nós, ao assistirmos a um profissional no conforto das luzes e do ar-condicionado, de uma bancada de apresentação de um jornal em rede nacional, lendo num teleprompter editado para satisfazer a opinião do patrão e não para informar a verdade dos fatos. Nem a morte de um colega sensibiliza esses capachos.
    “Pela democratização dos veículos de comunicação e pela queda do império da globo.”

  • O JUIZ

    Nessa verdadeira guerra midiática entre São Paulo e o Rio, quem perde é a vida.
    Isso porque, emissoras como a Globo, não possuem nenhum escrúpulo para fazerem um verdadeiro tiroteio contra um alvo que não existe, para proteger seus interesses políticos. A Globo, como se pode comprovar todos os dias, quer arruinar o Governo do Rio, Isso é fato. Só cego não vê, e surdo não houve. A Band, logo após a tragédia, tratou de “tirar o seu da reta”, com uma “nota” sem pé nem cabeça. Um verdadeiro absurdo. Espero que os profissionais dessas emissoras, reflitam bastante sobre o que cada uma pensa dêles.
    Band e Globo. Tudo a ver !
    Plim, plim.

  • Luis R

    E a liberdade de tiro do traficante, como é que fica? E a liberdade do fabricante de armas, essa verdadeira vítma inocente que quer apenas sustentar os seus e progredir?

  • Aracy

    Foi a famigerada disputa por uns pontos a mais no Ibope que matou o cinegrafista. Chega de disputa irresponsável pela audiência.

  • solange guedes

    …E quem comprou o colete……à prova de…do que mesmo?

  • solange guedes

    E quem compro o colete ?……..à prova do que mesmo?

  • Luiz A. C. Nalin

    E ao clicar no vídeo da Band aparece primeiro o comercial, estão ganhando dinheiro com a morte de seu cinegrafista, é mole?

  • richard pereira

    É uma pena mas as imagens são claras.

    Um soldado atira contra um bandido , o jornalista aparece no meio da linha de fogo, ao invés de esconder-se atras do poste que estava a seu lado , fica de peito aberto filmando.

    Só um desinformado não sabe que traficante e imprensa não são os melhores amigos , depois de vários disparos trocados entre o PM e o MARGINAL , este mira no jornalista e o mata, pois o mesmo estava completamente desprotegido .

    RICHARD PEREIRA

  • serpa

    Quem matou o video jornalista foi o jornalismo sensacionalista em tempo real, como diz o dapena. Foram tambem, os que compram provas de vestibular e do enem, genterica que paga 20 mil para ser aprovado num vestibular, e quem sabe agora no enem. Esse pessoal da elite, que tenta se dar bem a qualquer custo é que vem matando esse pais, invadiram a usp pelo direito de usar droga livremente, estão acima de tudo sem nenhuma ideologia. que pais teremos quando essa gente estiver no poder???

  • Eugênio

    Cara, “O projeto pioneiro das UPPs é um sucesso” mas quem paga é TODO o POVO BRASILEIRO, o que o SÉRGIO CABRAL faz com os ROYALTIES do PRÉ-SAL que ele, INDEVIDAMENTE, recebe??????

    01/11/2011: Discussão entre Eliane Castanhêde e Caco Barcelos (TRECHO CENSURADO)

    Vergonhosamente, a Globo News cortou sumariamente este trecho da entrevista.

    http://www.youtube.com/watch?v=o79VPhf_2UE&feature=player_embedded

    FONTE: REDECASTORPHOTO

    http://redecastorphoto.blogspot.com/2011/11/eliane-cantanhede-versus-caco-barcelos.html

  • Orlando Soares Varêda

    Nada comparável ao heroismo dos homens do Corpo de Bombeiros. Estes sim, cuja ação é legitimada pelo relevante que é de salvar vidas.

    Enquanto estes moços, dedicam seu trabalho, produzindo um jornalismo espetaculoso de baixa qualidade. Claro, é também um heroi, mas, do tipo que faz os chamados esportes radicais, algo de utilidade zero.

    Útil, para curtir adrenalina e, muito interessante para o empresário empregador do jornalista atingir alguns pontos de aldiência vagabunda. Logrando turbinar seu faturamento.

    Orlando

  • Maria Luisa

    Texto primoroso com o qual concordo em gênero, número e grau. Falou e disse, PHA

  • Roberto

    Nem a morte de um jornalista vocês respeitam. Lamentável. Traficante não merece perdão ou pena. Tem que ir pra vala. Dane-se se for pobre.

  • Marcelo

    Só para entender a questão: então, o bandido que não se preocupa com os direitos à vida, à segurança e à propriedade, tem que se preocupar e garantir a liberdade de imprensa. É isso que o Chico Pinheiro quer?

  • Colete a prova de bala? kkk só da vantagem ao fabricante.

    Mais uma vítima, mais uma dor, mais uma perda e mais uma bala perdida. Q horror…

  • John

    E a GLOBO disse hoje, logo cedo, em alto e
    bom som, que a morte do cinegrafista foi um
    ATENTADO CONTRA A LIBERDADE DE IMPRENSA.
    Nunca eu tinha ouvido uma afronta contra inteligencia humana tão grande, da patte de jornalistas que se dizem bem informados e democratas.
    HIPOCRISIA e Rede Globo, parce que caminham juntas.

  • Robledo Duarte

    Está estampado no uol o momento da morte do cinegrafista. Em respeito a familia do cidadão isto não deveria acontecer…

  • Rafael

    Deveriamem primeiro lugar proteger a vida dos seus funcionários envolvidos. Como telespectador não vejo nada de mais nessas imagens da polícia invadindo morros. Uma questão que não vejo ser comentada é que quem financia essa violência é a sociedade, a mesma que vai protestar contra o tráfico e crimes depois. Não existirá traficante se não existir CONSUMIDOR, aí tá a grande questão o CONSUMIDOR. Traficante é consequência.

  • wiesel

    “Por que os cinegrafistas só filmam da perspectiva da polícia para os traficantes e, não, dos traficantes para a Polícia” ?
    Eu não acredito que li isto em uma matéria sua!!!

  • lock

    Arre égua!!!!! ainda tem como culpar os “pig” pelo tiro de fuzil de um traficante que deve ser extremamente violento que levou a morte do jornalista, como pode dizer que a tal “mídia” não sobe o morro??? tinha até um programa muito ruim da reginá casé que se passava lá, e normalmente não se sobe ao morro por que lá a população é refém dos traficantes, não se sobe por que pode acontecer o que aconteceu a tim lopes, não se sobe nem se pegou entrada errada pois acaba em morte como aconteceu esses dias, por isso não se sobe.

  • Brito

    Hollywood dissemina a cultura do bang-bang.
    O “põe na tela aí” dissemina a cultura da band-band.
    O propósito de ambas me parece o mesmo, só que em Hollywood as balas não matam cinegrafistas.

  • Emilson

    PHA,
    Quem matou o cinegrafista da Band foi a estupidez que faz da violência modelo para alcançar pontos na audiência. Como um país pode atingir a civilidade e melhorar a educação se os meios de comunicação passam duas, três, ou mais horas, divulgando de forma sensacionalista a barbárie e a violência quando deveria estar formando e educando cidadão? As novelas são outras aberrações. Mais vale tudo para aumentar o Ibope, desde que garanta polpudas verbas dos anunciantes.

  • Brasileiro

    Eu acho que alguns dos suspeitos que vocês citaram não são nem de perto culpados. Ou pelo menos os argumentos de vocês não convenceram. O que eu não entendo é porque a morte de um jornalista (com todo o respeito pela triste perda da vida deste) tem que ter mais destaque do que as várias mortes de moradores de favelas que quase sempre ocorre quando a policia entra em conflito com os traficantes.

  • Brasileiro

    “O projeto pioneiro das UPPs é um sucesso.” Isso é muito relativo: avisar aos bandidos que está chegando e espantar os mesmos para as cidades do nordeste não é o que se pode considerar um sucesso.

  • Flavio

    Rídiculo foi ver a Patricia Poeta indignada reclamando que a liberdade de imprensa levou mais um golpe….

  • Filipe

    PHA

    Aonde a segurança do rio e exemplar??????

    Upp é uma farsa que o próprio PIG criou.

    Vc ta de brincadeira,menos, menos PHA.

  • Erick Tomas

    A mídia vitimou seu proprio funcionário. Se alguém me der um bom motivo para a presença de um cinegrafista eu mudo de idéia. É a mesma coisa sempre: tiros, gente morrendo, balas perdidas, bandidos presos, bandidos foragidos e algumas armas e drogas apreendidas. Sensasionalismo puro!!! As imagens gravadas por cinegrafistas ou por policiais daria na mesma. Só não seriam imagens exclusivas, aí dói no bolso da concorrência. Os noticiários dizem: “Atentado à liberdade de imprensa!”, enquanto essa mesma liberdade faz com que eles coloquem pais de familia em risco diariamente! O que tem de novidade nisso pra se colocar um reporter na linha de fogo? Uma vida a menos por míseros 30 segundos de reportagem??

  • joao santos

    quem matou os velhinhos a posentados de fome foi a presidente dilma.

  • Urbano

    Mas, quem acredita na possibilidade dessa gente mesquinha, que vem fazendo esse jornalixo do pig por uma eternidade, poder fazer uma coisa melhor? Iriam buscar essa competência aonde? Uma coisa assim talvez assuste até o magnânimo cineasta jáborrou, o maior de todos.

  • Vinicius Garcia

    Infelizmente temos uma televisão que explora o sensacionalismo para a “guerra da audiência”, o resultado são jornalistas mortos.

  • João

    Se a lei que proíbe o uso de arma de fogo no Brasil tivesse sido aprovada, creio muitos que morreram e os que estão morrendo neste momento atingidos por balas de fuzil,revólveres, garrunchas ou outra arma qualquer, estariam todos vivos.Mas infelizmente, o comercio e o trafego de armas sob o pretexto de proteger o cidadão, é mais forte no nosso país do que a própria vida.

  • Semianalfabeto "Classe C" em Brasília

    Quem procura, acha.

  • Jaboatão

    Cadê o PCC sr. PHA?
    Onde esta a estatística q o senhor havia mostrado, comparando os números de SPO e RJO? Se fosse ao contrário, tenho certeza q estaria caindo matando no Cerra, Alckmin, Farol, Kassab, PSDB/DEM …
    Agora só pq não ocorreu na Chuiça tá tudo tranquilo?
    Sei, nós ávidos leitores vamos fingir q esta tudo bem.
    Lamentável

  • Corrupto

    Estava lá no momento da Operação (Caminhada) e fiquei com um gostinho de Armação Ilimitada, quero dizer aos transeuntes quem tem carroço nesse Acarajé ou melhor seria “Croissant”. No Antares não tem traficante pra isso não. Se ficar não mão da polícia do Rio a História morre, mas se vier de fora vira Watergate.

  • Valterlei

    Quem matou o jornalista foi o bandido que puxou o gatinho. O bandido, traficante, que atirou na polícia. O resto é pura demagogia.

  • EspaçoTempo

    Na maioria das operações policiais, algum cidadão inocente, pobre, favelado, morre baleado pelos traficantes ou pela polícia.

    Os jornalões da “grande imprensa” tupiniquim noticiam o fato: “neste fim de semana a polícia trocou tiros com traficantes da favela x. Dois moradores morreram. Agora as notícias do Brasileirão…”

    Agora que um “repórter investigativo” morreu após ter entrado por vontade própria na favela, sem restrição nenhuma por parte das autoridades, atrás de imagens sensacionais de sangue e morte, derramam-se lágrimas e proferem-se discursos inflamados de protesto contra a falta de segurança, bravejando que a situação atual é de perigo total contra a liberdade de imprensa neste país.

    É o mesmo discurso contra qualquer projeto de regulamentação da mídia por parte do governo. Associam, assim, subliminarmente, bandidos e governo, enquanto a imprensa assume o papel de vítima.

  • Marco Antonio

    Inclua-se o colete inadequado para tiro de fuzil e o traficante que puxou o gatilho.

  • Raymundo Jr

    A culpa é da grade, isso mesmo, grade de programação da tv, que sem nada para colocar no horario ficam com esse tipo de jornalismo que não serve para nada alem de uns gritões se fazerem de indignados. Pior foi ver a rede Bobo tentar colocar a culpa no governo por conta do combate ao crime, reclamou do tiroteio cuja culpa foi da policia por combater o crime, só faltava essa!!!

  • Luciano Mendonça

    Eu acho que foi o médico do Michael Jackson… O sensasionalismo barato, a irresponsabilidade empresarial e a conivência policial (fruto da convivência perniciosa – uma simbiose do “toma-lá-dá-cá” imprensa “fuleira” e polícia).

  • Valmir Lopes

    O Datena hoje vai fazer um show. O sensacionalismo faz com que muitos jornalistas esqueçam de fazer reportagens e partem para satisfazer suas vaidades. Datena com seu programa sencionalmente ridículo vai: 1 anunciar a reportagens e espejar um monte. 2 chamar o intervalo quando todos os espctadores estiveram em alerta. 3 anunciar de novo a reportagem e dizer “daqui a pouco mais detalhes”, ai chama os comerciais 4 vai começar a reportagem babando como se fosse ele o único capaz de resolver o problema 5 antes vai chamar o Helicóptero para mostrar imagens do trânsito de São Paulo como se isso interessasse a todo o Brasil. 6 no final, acabará a reportagem e o espctador vai se sentir mal informado, porque ele só grita e esbraveja e não diz nada.

    • MARCELO

      A verdade é que nos tempos do regime militar,a TV
      era muito melhor.Esta tal de democracia virou libertinagem.Coloquem a Mary Tyler Moore que é muito
      melhor que este sujeito.Eu era feliz e não sabia!

  • Kid Prado

    Põe na tela! Põe na tela!
    Hoje o Datena vai dobrar sua audiência. Que bom, a audiência da Band deve subir 100%. Um jornalista-heroi morreu em honra da audiência. Às vezes morrem alguns policiais, alguns traficantes e alguns inocentes acertados por balas perdidas, mas isto já é trivial e não acrescenta muito. Acidente de trabalho ou justiça imediata…
    Bom mesmo para a audiência é quando tem novidades: um jornalista, um artista, um juiz, um jogador de futebol, um político.
    Põe na tela! Põe na tela!

  • Francy Granjeiro

    Os coletes não oferecem segurança para os profissionais??? Esses coletes não protegem contra os tiros de fuzil,que é a arma mais usada pelos bandidos???????

    • Zé da Cidália

      Não, não protegem…o Exército Brasileiro só permite a civis adquirirem coletes até determinado nível de proteção, que inclui balas de pequeno calibre.

      Os coletes que protegeriam contra balas de fuzil são de uso exclusivo das forças armadas….

  • José Neto

    Esta é a tática sórdida da imprensa marrom “Se colá”, mas o que me revolta, é não ver nenhum parlamentar do PT ou PDT, PC do B responder à altura e e isso deve ser feito em entrevistas que estão sendo transmitidas ao vivo pois ai não tem como eles cortarem ou editarem, falem da máfia das emendas em São Paulo, o escândalo da Alstom, eles só apontam crimes se os há para o lado do governo, mostremos as vísceras fétidas da oposição, por favor tenham coragem de enfrentar a Globo, como fez o Leonel Brizola. Obrigado

  • Roberto Martins

    A morte do cinegrafista foi suicídio. Qualquer profissional tem os seus riscos e os assume se quiser. Quando um bombeiro entra num prédio pegando fogo ou em uma enchente, sabe dos riscos que corre para exercer a sua profissão, e está ali por escolha. Da mesma forma o jornalista, o repórter. Esse cinegrafista escolheu o risco do tiroteio. Existem outros cinegrafistas que cobrem o nascimento de uma flor no jardim botânico, por exemplo, e dificilmente serão vítimas de suas reportagens.

    Tentar colher frutos políticos do episódio – seja para o lado PiG seja para o lado “sujo” – isso sim é crime.

    É um assassinato da inteligência dos leitores.

    • Ary

      Concordo, Roberto. Quanto mais eu via as imagens, mais incrédulo ficava. O jornalista ficou na linha de tiro (atrás dos policiais que estavam sendo atacados) em várias ocasiões. Mesmo com um colete adequado, o risco era grande. Todo aquele risco para cobrir um tiroteio fuleiro. Lógico que não foi suicídio, mas sim uma atitude suicida.

  • Roberto Martins

    A morte do cinegrafista foi suicídio. Qualquer profissional tem os seus riscos e os assume se quiser. Quando um bombeiro entra num prédio pegando fogo ou em uma enchente, sabe dos riscos que corre para exercer a sua profissão, e está ali por escolha. Da mesma forma o jornalista, o repórter. Esse cinegrafista escolheu o risco do tiroteio. Existem outros cinegrafistas que cobrem o nascimento de uma flor no jardim botânico, por exemplo, e dificilmente serão vítimas de suas reportagens.

    Tentar colher frutos políticos do episódio – seja para o lado PiG seja para o lado “sujo” – isso sim é crime.

    • Joaquim

      Já vi que o senhor não entende bulhufas. Deixa eu explicar. Nas redações, existem seres que atendem pelos nomes de editor, diretor de jornalismo, chefe de redação, etc. Podem ser chamados também de patrões (já ouviu falar??). Chamam eles assim porque possuem o poder de mandar um cinegrafista pra onde eles acharem que devem. Ora e o cinegrafista “suicida”??? Pelos baixos salários, pela necessidade de manter o emprego e coisas que acho que o senhor nunca ouviu falar, ele não tem alternativa senão “assumir” os riscos. E aí, ele acaba infelizmente morrendo no meio de um tiroteio, ou seja, o “suicídio” na verdade, é uma cruel mistura de exploração e assassinato. Entendeu ou quer que eu desenhe pro senhor?

      • Roberto Martins

        Sr. Joaquim, mantenha a sua calma e não me ofenda, e nem à inteligência dos leitores do blog.

        Quem tem a obrigação de se colocar numa linha de tiro é um militar em uma guerra, um policial em uma operação, nunca um civil, por pior que seja o seu trabalho.

        O poder do patrão tem limites, sr. Joaquim, e espero que o sr. nunca alcance uma posição de comando, pois não parece ser capaz de discernir o certo do errado, o poder legítimo da tirania.

        O cinegrafista quis, sim, colocar-se em uma posição de risco para obter a melhor imagem. Não acho que merecia ser morto, mas não foi inteligente o suficiente para manter a própria vida.

        E, por favor, desenhe a sua ideia, pois em palavras ela não se sustenta.

  • CELSO_51

    Só a polícia do Rio, conforme o vídeo publicado, vai para um bang-bang usando boina de feltro na cabeça. Muito preparados e equipados !!!! KAKAKAKA!!!!

  • Cafe do Bode

    Quem matou? É quem mata o Brasil todos os dias, se chama PIG.

  • lenilton

    Hoje no Bom (?) dia Brasil a Renata Vasconcelos estava tão atordoada com a morte do cinegrafista da BAND que ao fazer uma análise do que estar ocorrendo em um município de Alagoas onde o prefeito, nora e sogro fazem uma verdadeira “arruaça” com o dinheiro público, ela disse que neste município houve uma verdadeira PRIVATIZAÇÃO, pela primeira vez a rede “porco” usa uma porta voz e faz um questionamento verdadeiro do que foram as PRIVATARIAS do DEMos/PSDB/ÇERRA/FHC. Adorei esse comentário.

  • Maria Dirce

    Essa história me lembra o Tim Lopes.A Globo indenizou a família dele?A irmã dele detonava a Globo sera que a Globo aquietou-a? com dinheiro indenizatório??????

  • Amilcar Lopes de Almeida - Araruama - RJ

    PHA, sabe o que eu vejo de pior nisto tudo? são os próprios colegas do profissional falecido com discursos de que está havendo bloqueio à liberdade de imprensa… e enquanto isso os seus patrões e chefes estão se eximindo da responsabilidade, com a complacência daqueles que amanhã poderão estar na mesma situação. A realidade é que o PIG acha que é seu direito invadir, adentrar, sem pewdir permissão em quaisquer lugares, mesmo aqueles lugares que os cidadãos não entram nestas condições de tiroteio… qualquer dia a gente estará em casa assistindo TV e entrará em sua casa sem convite um repórter para uma entrevistazinha para a Ana Maria Braga ao vivo e a cores… afinal um repórter da Veja já tentou fazer isso com ex-parlamentar, não é?

  • madeira

    Assim como a globo mandou Tim Lopes para a morte depois fez um busto de herói a band repete o comportamento irresponsável das direções que querem uma matéria a qualquer custo.

    Mais filhos órfãos e esposa viúva, a arrogância do PIG não tá nem ai.

  • Luiz Fernando

    E o Chico Pinheiro falou com ênfase: “É um atentado à liberdade de imprensa”. Acham que o telespectador é besta.

    Concordo que, se existe atentado, foi praticado pela própria empresa contra os jornalistas, por colocá-los em situação de extemo risco, desnecessariamente.

    • Leônidas Costa Andrade

      O pior é que a maioria dos telespectadores são bestas, sim, e com certeza muitos engoliram a história de atentado à liberdade de imprensa.

  • Rodolfo

    um momento! o senhor começa enumerando, um a um, os principais suspeitos pela culpa da morte, todos eles, ligados à política de segurança do RJ e termina dizendo que o jornalismo do “Bom Dia Brasil” é quem fez uma cobertura em tom de incriminar a política de segurança do RJ ???
    mais coerência, por favor…

  • RICARDO

    PHA,
    E a política de segurança do governo estadual está isenta de qualquer responsabilidade, como de hábito.

  • Vera Alice Demétrio Silva

    PHA, muito contundente seu artigo. Acho que já passou da hora de tirar da TV esses programas policiais mostrando e banalizando toda essa violência, c/apresentadores ganhando os tubos, protegidos e vociferando no estúdios e os coitados dos reporteres e cinegrafista arriscando a vida p/ganharem uns pontinhos na audiência.
    Vc tem toda razão, todos que citou, tem responsabilidade sobre
    esta triste ocorrência. Eu vi o Bom Dia Brasil destilar essa
    pérola e mudei de canal, achei absurda essa correlação com a
    morte do cinegrafista

  • Johnny

    Quem levou Tim Lopes para a morte? Seu empregador.
    O mesmo ocorreu com esse cameraman.

  • flaino...

    E a indústria armamentista?

    Ah, sabe como é “né”, então; pois é…

    Esse campeonato brasileiro de pontos parados, hein?

  • Marcius Cortez

    Por falar em segurança, compareça hoje, às 18 horas, a assembléia dos estudantes da USP em frente ao prédio da Reitoria na Cidade Universitária.Pronunciamento do sociólogo Chico de Oliveira e do jurista Sotto Maior.É necessário ir muita gente para inibir a truculência de policiais recalcados. O arremedo de democracia que vigora no Brasil permanece ameaçado.Proteste contra a ditadura da mídia, a ditadura do aparato criminoso e corrupto da Justiça e das Forças Militares, a ditadura do Ensino Burocrático, a ditadura do Falso Moralismo.

  • Leônidas Costa Andrade

    A lamentável morte de um profissional no exercício da sua função é só isso, um acidente de trabalho e como tal deve ser tratado inclusive com a devida aplicação da legislação trabalhista que prevê indenização aos familiares/dependentes, ridículo é ver um membro ligado a uma entidade de classe dizer que em nome da instituição exige que o assassino seja exemplarmente punido, ora, não era isso que a polícia estava fazendo lá?, tentando prendê-los para que sejam punidos por vários crimes, será diferente agora porquê um cinegrafista morreu no combate?, então se não fosse isso deveria ser tratado somente como uma brincadeira de “bang-bang” como dizíamos na minha infância?.
    Fico perplexo com tanta besteira dita principalmente por representante de uma classe profissional que na minha adolescência aprendi a admirar pela inteligência.

    • Antonio

      Rídiculo é achar que estar na linha de frente num combate entre policiais e traficantes é função de cinegrafista. Primeiro que cinegrafista não deve morrer em combate. Ele não é combatente nem policial. Ele é cinegrafista. Realmente há culpados pela morte do profissional, que não deveriam deixá-lo estar no meio de um tiroteio. Mas que essa história sirva de lição. Jornalista e cinegrafista não são policiais e não devem estar na linha de tiro. No máximo deveria estar bem atrás, a salvo da morte, tentando colher alguma informação, sem se expor. Infelizmente e por culpa de alguém ele se expôs e fez parte do triste espetáculo de sangue que também infelizmente muita gente gosta, mas que não tem sentido nem resultado prático benéfico para ninguém, a não ser para o dono da emissora e anunciantes, que ganham dinheiro em cima de cenas tão deprimentes, que ganham em cima do espetáculo da morte.

  • Oreste

    “Por que os cinegrafistas só filmam da perspectiva da polícia para os traficantes e, não, dos traficantes para a Polícia?” – oportuno questionamento, caro PHA. Creio que uma possível leitura é a de que, em um “estado democrático de direito” setores conservadores midiáticos preocupam-se apenas com um lado da moeda. Sobre este aspecto não entro no mérito da questão, deixo para quem o sabe fazer com excelência como este blog.

    • Marcos

      Eu já vi gente ingênua, mas tão sem-noção, é a primeira vez.
      Quer saber porque jornalistas não filmam da “perspectiva dos traficantes” (se é que eles tem alguma perspectiva)?
      Porque se jornalista subir o morro com uma câmera na mão, eles MORREM. Só por isso.

  • Culpa de quem ama ver violência na tv e esse estilo de programa, entao, sao todos culpados, para evitar isso, precisamos ver coisas positivas, e saber dos crimes pelo noticiario e nao ao vivo.
    Ja bastam os pobres policiais morrendo diariamente e nem são devidamente citados como herois,
    A Midia deveria sim, citar nome a nome, desses que morrem em um conflito com o salario que ganham

  • luis fernando-rj

    agora a imprensa com o discurso inflamado contra a política de segurança pública pq morreu um cinegrafista,quando é morador eles assinam embaixo o discurso da polícia dizendo que é o morto é ligado ao tráfico.

  • A TV repete a cantilena: a imprensa não pode se intimidar. caramba, ninguém está falando em intimidação! Trata-se de segurança do trabalhador! Lamento afirmar isso, mas essa morte demorou muito a acontecer, dadas as inúmeras situações de risco que jornalistas vêm vivendo nesses confrontos urbanos.

  • dida fernandes

    PH, olha que absurdo.

    como é que uma pessoa normal, fica por tras de um policial portando fuzil, justamente na linha de fogo do marginal?

    será que no curso de cinematógrafo o pessoal não ensinou a utilizar um tripé? não precisava ficar segurando a camera, bastava coloca-la num tripé e deixar por tras do policial.

    ou sera que o cinegrafiasta nunca fez curso?

    Parabéns Datena, agora voce tem uma morte filmada pelka Band.

    http://www.youtube.com/watch?v=IsDYti8lNcA

  • Também podemos considerar, se avançarmos ao nivel profundo da questão, que a infantilização da discussão que se estabelece no quesito da descriminalização das drogas é um ponto importante! Primeiro vamos acabar com o mercado de tóxicos, depois, poderemos re descutir o efeito ou o papel dos narcóticos numa sociedade que em sua totalidade é sedada pela mídia sensacionalista, e que exige imagens hiper reais, citando baudrillard, “sedentas de desvelamento sádico”!

  • Carl

    A propaganda contra as drogas tem que ser mais realista, ou seja, tem que mostrar que se têm traficantes e violência, a culpa é dos consumidores.

    • Cunha

      Apoiado. E nem pensar em liberar ! Seria como se o governo assumisse uma derrota perante uma doença, mandando usuários/dependentes químicos se ferrarem. Acabaria com as finanças deles ? Sim,mas ,e os que embarcaram nessa furada e afundam no inferno do vício? Praticamente não há campanha. Ela deve ser mais realista , mostrando o inferno da vida de quem não consegue mais sair,mesmo em tratamento,quanto o inferno que todos esses grupos de traficantes,tanto nas comunidades ou em boas residências, promovem na cercanias e no resto da cidade.

  • Ainda Mais Implicante

    Se é pra ser bizarro, eu ganho: a meu ver, a culpa é de Deus e da Natureza, pois se a terra não deixasse florescer a coca e a cannabis, nenhuma droga seria produzida…

  • Leonardo

    Engraçado, o projétil que acertou o cinegrafista passou raspando a cabeça do policial, se tivesse acertado no policial duvido que fariam esse estardalhaço todo, seria apenas mais um. Infelizmente aconteceu com o cinegrafista mas a dor das duas familias não seria a mesma?

  • Severino Marques dos Prazeres

    Não esqueçamos da outra grande irresponsabilidade. A da outrs ermissora de TV, a rede globo, no caso do assassinato do Tim Lopes.
    A próxima tragédia vai ocorrer no programa do Datena. Tudo ao vivo, em primeira mão, com exclusividade.

  • serpa

    De acordo com a assessoria da Secretaria de Segurança Pública, a imprensa não havia sido convocada para acompanhar a operação, devido ao elevado risco envolvido.
    Mas, a imprensa tem que ser espataculosa, o tiroteio com supostos bandidos, pois nunca se ve bandidos ouve-se, mas a polica atirando o pig* filma toda hora, isso ai foi uma bala perdida, que atingiu a imprensa, caso fosse um cidadão comum, não havia nada demais. bala perdida acha qualquer um, viu dapena. Dá proxima vez, ve se o espetaculo da noticia, ocorre no circo.

  • monge scéptico

    Some-se a isso tudo, a bonomia com que são tratados os crimino-
    -sos em nosso país. Aliás, estão mais para terroristas.
    Te cuida BRASIL!.

  • Zé da Cidália

    Desculpe-me, mas a emissora tem todo o direito de filmar o que bem desejar, o telespectador também tem o direito de trocar o canal, se a notícia não lhe interessar.

    O que o PHA não disse é qu eo cinegrafista usava o melhor colete feito para proteção de civis. Explico melhor:
    No Brasil, o Exército Brasileiro NÃO PERMITE QUE CIVIS USEM COLETE DE PROTEÇÃO PARA BALAS DE FUZIS….é mole?

    • ismario m alves

      quero ver a cara do boner no jornal nacional de hoje dizendo que o cinegrafista jornalista da band não estava preparado igual ao correspomdentes da globo na libia.

  • Luiz Fernando Viegas

    Lamentável, mais uma morte sem nenhum sentido, como se morrer tivesse sentido, algumas questões recorrentes: Como o fuzil chegou às mãos do tráfico? como alguém autoriza jornalistas a entrarem na linha de fogo? como os consumidores de drogas ainda consomem droga? são todos viciados ou só bombam suas festinhas? viciado tem algum tratamento além de subornar a polícia e continuar consumindo? alguém acredita que os consumidores são todos viciados? quem são os idiotas que se plantam em frente à TV para ver tiroteio do tráfico com a polícia? esses, sim, os verdadeiros viciados!!!

    • paulo

      Luiz Fernando, viciado não precisa mais subornar a polícia, o consumo deixou de ser crime com o advento da lei 11.343/2006. Quem suborna a polícia, juízes, promotores e políticos são os traficantes, e é por isso que não legalizam o comércio: do jeito que está todos eles ganham um bom dinheiro…

  • Yacov

    Também achei muito esquisito usar o termo “atentado à liberdade de imprensa”. Um despropósito. São os risocs da profissão. Quem está na chuva é para se molhar. O jornalista, a empresa, os órgãos e agentes de segurança sabem muito bem dos riscos. Porquer permitiram que o rapaz ficasse na linha de tiro… Isso me parece mais incompetência e ganância em querer dar um furo a todo o custo. Penso também que uma filmagem dessas no currículo deve dar ao profissional maiores possibilidades financeiras, mas tudo tem custos. Agora, do jeito que o Fu-Chico falou, parece que é o governo, que não acaba com o tráfico, que impede os profissionais de exercerem o seu metiêr. Me poupe… Daqui a pouco vão dizer que se o jornalista morrer de dengue, isso é cerceamento da liberdade de imprensa. Isso está virando uma obsessão do PIG… É ridículo!!

    “O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS”

    • Leônidas Costa Andrade

      Pois é, Yacov já estou pensando em proibir um amigo meu jornalista de frequentar a minha casa, vai que a minha cachorra dá uma mordida nele e eu sou acusado de atentar contra a liberdade de imprensa.

  • denis

    Parabéns, é bom ler um texto e perceber que unca tinha olhado nesta perspectiva. Deixei de ver programas dos tipo Cidade Alerta ha muito tempo, mas, nunca pensei que os patrões não davam o devido apoio.

  • Rodrigo Rod

    É o datenismo. O que interessa ao telespectador ouvir tiro e imagem tremida. Isso não é jornalismo pois não é fato jornalístico.

  • È isto mesmo!Este Pais está cheio de pessoas não qualificadas em todos os setores de trabalho arriscando suas vidas, e não se conta do perigo!!!

  • Ronaldo

    Nesta guerra sem fim pela audiência, fazem que profissionais arrisquem a vida por uma boa imagem, um entrevista exclusiva. Deu no que deu. A diferença dos números de telespectadores entre as emissoras de TV, transformam numa guerra tal e qual a dos morros.Vão querer agora transformar o cinegrafista em herói. Não é! Foi um somente um pobre coitado que entrou na pilha que as emissoras de TV colocam nos profissionais por uma boa reportagem!!!

  • Tomas

    A política do Rio para segurança é exemplar. Sim tiramos os traficantes da Zona Sul, levaram para Baixada, Canta Cruz, Campo Grande e interior do estado.
    As milícias cresceram como nunca, e agora dominam um número absurdo de comunidades. São máfias formadas por policiais que se sustentam em todo o tipo de atividade criminosa. E o pior elegem vereadores, deputados e apóiam decisivamente prefeitos e governadores, não é Paes e Cabral?
    Simplesmente tivemos uma juíza morta a mando do comandante do batalhão da área de sua jurisdição.
    As armas da invasão do alemão foram vendidas para milícias e outros traficantes. Os chefões saíram de caveirão…

    Realmente exemplar essa política!!

  • Sandro Paulino

    o problema PHA é que as emissoras de TV (todas) querem ser exclusivas, com novos ângulos, novas perspectivas e os funcionários são só isso funcionários, só servem enquanto estão funcionando….
    Abraços!!!

  • Implicante

    Ao meu ver a culpa é dos consumidores, que são aqueles que fomentam o tráfico.

  • Leonidas de Souza

    Quem matou o jornalista da Band foi a promiscuidade entre as Polícias e a grande Mídia.
    Alguém já se perguntou porque a Globo tem prioridade nas investigações da Polícia Federal?
    Toda semana a Globo divulga no Fantástico e no Jornal Nacional reportagens exclusivas mostrando depoimentos, documentos, etc sobre investigações da Polícia Federal, na maioria sob segredo de Justiça.
    O que a Globo oferece em troca, reportagens elogiosas sobre as operações da PF?
    Esse “uma mão lava a outra”, é mais que evidente.
    Esse sistema de troca deve funcionar para todas as polícias e quem furar, vai sofrer uma campanha feroz contra.
    Até o Exérito americano já adotou esse sistema, como assistimos na invasão do Iraque.
    O Exército americano levava os “jornalistas” para documentarem suas operações, montando cuidadosamente os cenários para que a Mídia mostrassem a opinião pública suas ações de modo favorável a invasão, principalmente sobre as tais armas de destruição em massa.
    O problema é que as vezes não dá para combinar com o inimigo e alguns desavisados morrem.
    Aí, entra em cena o velho e bom corporativismo.

  • kalifa

    Devemos repensar a descriminalização do consumo!Basta olharmos para o passado para descobrirmos que onde há consumo há vendedores!Óbvio!O que dizer da lei seca nos Estados Unidos??????

  • Gersier

    A maior responsabilidade é de quem comanda o jornalismo da Bandeirantes,que numa falta de profissionalismo sem precedentes,coloca um cinegrafista sem a mínima proteção à sua vida,para “cobrir” tiroteios entre traficantes e policiais.E será porque a famigerada globo,o câncer do Brasil,não usa o mesmo argumento quando não só traficantes,mas todo o tipo de marginais atiram a esmo atigindo policiais e civis inocentes nas ruas,morros e favelas paulistas?Porque não dizem que são atentados ao livre direito de ir e vir?Ah esses crápulas.

  • nelc

    Prezado Paulo. A Situação dos jornalistas cinegrafista, ou qualquer funcionario do pig, trabalham no velho sistema oriundo do final da escravidão, ou obedece ou rua! Por um acaso o sindicato,ou qualquer outro organismo que deve proteger o trabalhador, deu o ar da graça no caso do tim lopes? Ou da colega dele que voltou com denuncias grvíssimas? O pior é que mesmo colocando seus colaboradores em risco, nada tem adiantado, a audiencia despenca!

  • Washington

    Foi o senti também no Bom Dia. Toda a culpa da morte cai na maldita política de fazer UPPs. Se não podem dar absoluta segurança aos cinegrafistas da imprensa que cobrem tiroteios, então não façam UPPs, foi só o que faltaram dizer. Também culparam as Forças Armadas, por liberarem para a imprensa colete à prova de balas que não funciona.

  • eu tenho por outra que isso pode muito bem ter sido de polícia para a milícia, vice-versa.
    nós temos um instrumento fantástico, na constituição, chamado intervenção federal. (eu não sou favorável a um uso do poder de polícia todo o tempo, mas, convenhamos: quando é para repelir manifestações, desabrigar pobres e manter a “legalidade” esse poder é usado suavemente…). a constituição, escrita pelo povo, permite essa situação: aí eu quero ver se os marinho (se o pai não era tão inteligente, segundo nelson rodrigues, imagine os filhos!) mandam no rio de janeiro.

  • angela

    Lamento profundamente a morte do cinegrafista da Band, e concordo plenamente que a responsabilidade pelo ocorrido e da empresa que coloca em risco seus profissionais. Agora dizer que a morte do mesmo conforme foi dito por Chico Pinheiro e ontem a noite por Patricia Poeta e ataque a liberdade de imprensa e piada de mau gosto e querer tirar dividendos politicos da situação. Essas pessoas deveriam se envergonhar.

  • Maik Deive

    PHA,
    Há que se investigar o comensalismo PolíciaXJornalismo.

    Muito do que aconteceu se deve a essa relação irresponsável observada em todo país.

    Pelas imagens parecia que a polícia não estava caçando bandido, senão auxiliando a reportagem.

  • Leônidas Costa Andrade

    PHA, ligado como sempre ao que acontece no PIG, eu estava mesmo esperando um texto seu a respeito para comentar, não vi o “bom dia brasil”, mas, já no fantástico ontem o caso foi apresentado como um ataque à liberdade de imprensa e eu dormi pensando: o que tem a ver a morte do jornalista em área de conflito com a liberdade de imprensa?, será que a globo acha que traficantes e bandidos da pior especie vão respeitar a “liberdade de imprensa”?, outro “especialista” culpou a “política de enfrentamento” da polícia do Rio, como é que eles querem que seja feito o combate ao crime organizado?, será que a sugestão seria enviar um psicólogo para convencer os criminosos a deporem as armas e se entregarem pacificamente com promessa de que não seriam presos e que teriam seus pontos de venda de drogas licenciados pelo estado?.

  • Deda Menezes

    Sr. PHA.,
    Concordo plenamente com seus comentários. Perfeito, claro , objetivo e desmitificador. Como pode um telejornal (?), falar em liberdade de imprensa em um fato como êsse? DESCABIDO ! A band deve ter a coragem de admitir seu êrro.

  • Muito triste, é a época de ´´jornalismo investigativo “, de invasão de repórter na casa das pessoas, enfim de um jornalismo inconsequente.

  • PHA parabens, voce sempre atento as manchetes do Bom dia brasil. Uma vergonha o tom usado pelo apresentador como se isso fosse uma afronta a liberdade de imprensa ou ele acha q o traficante mirou e pensou : vou matar aquele reporter. Triste porque uma vida se foi mas usar isso para alimentar a perseguição a imprensa so mesmo a globo , que Nojo!!!!!

  • vera

    Quem matou o cinegrafista foi um tiro de fuzil…Que mata um, que mata dois, que mata três, que mata todos nós um pouco a cada dia.

  • sergio

    Como sempre o PIG equivoca-se em quase tudo que faz, primeiro foi Tim Lopes, agora o cinegrafista da Band, quem será o proximo?

  • Reg

    Cinegrafistas da Band filmam operações em São Paulo, dentro dos carros das polícias, para serem transmitidas em seu lixo de programa, quando as crianças chegam em casa do colégio.
    Falta a cinegrafistas dizerem não às empresas para as quais trabalham.
    E todos os não-não ditos que matou Eloá, para que a televisão e o sequestrador conversasse com a dona do programa, dentre outros absurdos.
    O não-não dito do jornalista do Rio, infiltrado na favela, morto por traficantes.
    E assim segue a vida.
    Dos NÃO, não ditos.

  • Franklin

    Sabe quem matou o jornalista? E as milhares de vítimas de “balas perdidas”, de latrocínios, de violência? Sabe quem? Foi a burguesia maldita que tem entre seus filhinhos os maiores consumidores. Bem disse o Cap. Nascimento: “quantas crianças e familias serão destruídas só para que um playboyzinho possa fumar seu baseado?”. Quantos tem que morrer para que os vagabundos da USP possam fumar um? Quanto imposto tenho que pagar para custear os prejuízos materiais causados por esses vagabundos?

    • Carlos Soares

      finalmente alguém disse a verdade

    • ANNA

      ASSINADO E RECONHECIDA A FIRMA!
      mas o problema é que, não são só os ” mauricinhos” que se ferram, eles levam junto a pobretada que acha bacana ser viciado,( soube de fatos que o coitado trabalhava em um serviço pesado de construção civil e no final do dia deixava o que ganhou na ” boca”)
      Essa desgraceira de drogas se espalhou como erva daninha pela sociedade, e pelo jeito nessa guerra que atinge a todos só tende a piorar cada vez mais.
      (E para os ” defensores” da maconha, não é uma droga a mais ou a menos que essa guerra vai terminar.)
      90% dos problemas de segurança tem como pano de fundo as drogas.(assaltos, assassinatos, doenças psiquiatricas, brigas e mortes em familia… etc.)
      PARA O MUNDO QUE EU QUERO DESCER!!

Deixe seu comentário

"O Conversa Afiada não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas, nem textos escritos exclusivamente em letras maiúsculas ou que excedam 15 linhas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Conversa Afiada."

  •