Você está aqui: Página Inicial / ABC do CAf

ABC do CAf

por admin última modificação 08/07/2016 10h38

Os amigos navegantes pediram e o Conversa Afiada criou o ABC do C Af. Outra notável contribuição do C Af à Civilização Ocidental.

São verbetes para ajudar o navegante a entender a secreta essência dos textos aqui publicados.

Quem é a Antônia Conselheira? O dos chapéus? A Urubóloga? O Ataulfo?

O ABC do C Af, como o pensamento conservador, é uma obra em curso. Como o Golpe do PiG – outro verbete!

Está sempre em atividade. Por isso, frequentemente, o ABC será revisto e ampliado. Porque o C Af também é Cultura! E se diverte à custa deles, os dicionarizados.

A
Alexandre Maluf Garcia - Alexandre Garcia
Aloysio 300 mil - Senador tucano de São Paulo, que se elegeu porque a Fel-lha matou o concorrente, Romeu Tuma. Aloysio pediu R$ 300 mil emprestados a Paulo Preto – que Cerra chama de Paulo “Afro-Descendente” – e Paulo emprestou. Aloysio era chefe da Casa Civil de Cerra, no Governo (?) de São Paulo.
Antônia Conselheira - Bláblárina.
Armínio NauFraga - Presidente do Banco Central do Brasil no tempo do Farol Alexandria, responsável pelos juros de 45%. Quando vai exterior, espinafra o Brasil. Mas investe no Brasil e ganha um monte de dinheiro na agricultura de Mato Grosso, por exemplo.
Arrocho Neves
Arrocho Neves - o senador do Rio eleito em Minas, que prometeu arrochar o salário-mínimo.
Ataulpho Merval - Merval Pereira, em homenagem a Atualfo de Paiva, o mais medíocre dos acadêmicos da ABL. Ao tomar posse, José Lins do Rêgo rompeu a tradição e espinafrou o antecessor: Ataulfo. Ele renasceu em Ataulpho Merval.
Ataulpho Merval de Paiva
Ataulpho Merval de Paiva - É o Merval Pereira, do Globo, em homenagem a Ataulfo de Paiva, o mais medíocre dos acadêmicos da ABL. (Com a entrada do Zuenir mesóclise Ventura, o Paiva passou a ter sério concorrente.) Ao tomar posse na Academia, José Lins do Rego rompeu a tradição de elogiar o antecessor e esculhambou o Ataulfo. Que renasce, agora, no Merval.
Açougueiros do neolibelismo - São o Meirelles, o Ilan Goldjan e a Urubóloga, que não viram que o FMI jogou o neolibelismo na latrina.
B
Big Ben de Propriá
Big Ben de Propriá - Ayres Britto, que, na presidência do Supremo, marcou, com precisão britânica, o julgamento do mensalão (o do PT) para o exato momento em que o eleitor paulistano tinha que escolher entre Haddad e Cerra. Não deu certo: Haddad se elegeu.
Bláblárina
Bláblárina - Marina Silva e a capacidade de não dizer nada. Por exemplo: “a sustentabilidade se sustenta no sustentável”.
Brocs - “B” de branco; “R” de reacionário; “O” de odiento; “C” de curvado; e “S” de superado.
C
Catão dos Pinhais - o Grande Moralista do Paraná, Álvaro Dias.
Ceguinho malandro - é o zé da Justiça (ver verbete próprio). É aquele ceguinho que olha por cima dos óculos escuros pra ver a Sabrina Sato passar ...
Chuíça - como os tucanos de São Paulo dizem que São Paulo é: tem o IDH da Suíça e o dinamismo chinês.
Ciro Gomes - maior especialista em caráter de tucano.
Colonista - não se refere a cólon. Mas aos colonistas do PiG que prestam vassalagem aos patroes e aos Estados Unidos, e se vestem de virgens imparciais.
D
DataCaf - Instituto de Pesquisa Eleitoral do Conversa Afiada. O único que confessa: a margem de erro no DataCaf tem a flexibilidade de bumbum de assistente palco. Cresce e diminui como bem entende – o que é exatamente o que fazem o Datafalha e o Globope.
Delfim Netto - autor de celebres frases, que desmente: “jornalismo de economia não é um nem outro”; “o PSDB acabou quando o Sergio Motta morreu e levou o login com ele”; “FHC vendeu as joias da família e aumentou a divida da família”.
Detrito sólido de maré baixa - revista Veja.
Dos múltiplos chapéus - Elio Gaspari, que usa tantos chapéus que fica impossível entender suas acrobacias. Serve ao PCB, ao PSDB, a Harvard, à Fel-lha, ao Globo, a Ronald Levinsohn, ao “seu” Frias, aos filhos do Roberto Marinho e sobretudo ao Cerra, com quem, de madrugada, troca receitas de veneno.
E
Economista de banco - em “on” eles elogiam o Banco Central. Em “off” esculhambam o Governo.
Entre Caspas - trepidante programa de entrevistas na GloboNews, em que a ancora inclinada faz perguntas mais longas que as respostas, onde emite sua (dispensável) opinião e se acha imparcial.
Essa porra - é a Lava Jato, segundo "alguns" ministros do Supremo, segundo Romero Jucá. Ele diz: "Conversei ontem com alguns ministros do Supremo. Os caras dizem 'ó só tem condições de [inaudível] sem ela (Dilma). Enquanto estiver ali, a imprensa, os caras querem tirar ela, essa porra não vai parar nunca'. Entendeu?"
Estadista chilena - Mônica Cerra, mulher de Cerra, que confessou ter feito aborto no Chile, mas o marido condenou o aborto… no Brasil. A estadista disse na campanha de 2010 que o Bolsa Família estimulava os preguiçosos.
F
FIE P - Este Conversa Afiada chama a FIESP de FIE P. Sem o “s”. É uma tentativa de identificar o verdadeiro propósito da campanha da FIE P contra a CPMF. Apagar o “S” de “$”.
Fadinha da Floresta - Antônia Conselheira.
Farol de Alexandria
Farol de Alexandria - Fernando Henrique Cardoso, aquele que iluminava a Antiguidade e desapareceu com um terremoto de nome “Lula”.
Fel-lha
Fel-lha - Folha provinciana de SP. Por causa do mau hálito provocado por uma bílis apodrecida
Filhos do Roberto Marinho - eles não tem nome próprio.
Fo-Frete - É uma fanha que na GloboNews dá complexidade ao óbvio. Foi a quem o Bob Jefferson quis dar o "furo" que resultou no mensalão (o do PT). Deu a ela como podia ter dado a qualquer outra fanha do PiG.
G
Gatinho angorá - é o Wellington Moreira Franco, quer serviu a todos os governos que passaram e servirá a todos os que vierem. Começou a carreira, na Europa, comprando arma para a luta armada. Tornou-se o genro do genro, porque casou com a filha de Amaral Peixoto, genro de Vargas. Saiu da esquerda e foi ser candidato a Governador do Rio pela mão dos generais. O ansioso blogueiro demonstra nos livros "O Quarto Poder" e no Plim-plim, a peleja de Brizola contra a fraude eleitoral" que o gatinho angorá acumpliciou-se com do golpe da Proconsult. Elegeu-se Governador com a promessa de que ia preservar os Brizolões e a primeira coisa que fez foi boicotá-los, para atender a Roberto Marinho que considerava os Brizolões responsáveis pela formação de uma casta nas favelas: a dos jovens que passavam o dia inteiro, estudando e se alimentando, nas escolas do Darcy Ribeiro. Sua administração do Rio é um arquipélago de irregularidades. Quase foi preso. Saiu do Governo debaixo de vaia. Tentou se eleger prefeito de Niterói. E se recusou a disputar a eleição do segundo turno, para nao levar uma surra. É o autor intelectual da "Ponte para o Futuro" pela qual o traira do Temer passou para a outra margem da História. Levou o gatinho angorá com ele. Ate que outro governo se forme ... Quem o chamava de "gato angorá dos militares" era o Brizola.
General Assis Oliva - Uma singela homenagem ao General Assis Brasil, que garantiu o “dispositivo militar” ao Presidente João Goulart, e ao Ministro Aloizio Mercadante Oliva, que garantiu o “dispositivo civil” à Presidenta Dilma.
Gilberto Freire com “i” - Para designar Ali Kamel, o mais poderoso de todos os diretores de jornalismo da Globo. (O ansioso blogueiro trabalhou com os outros três.) Metido a Antropólogo e Sociólogo, autor de best-sellers de estante: ninguém lê, ninguém compra. Um deles combate as cotas raciais e diz que no Brasil não há preconceito contra negros. Conta-se que, um dia, em Apipucos, D Madalena advertiu o Mestre: Gilberto, essa carta está em cima da tua mesa há tempos e você não abre. Não é pra mim, querida Madalena, disse o Mestre de Apipucos: é para um Gilberto Freire com “i”.
Gilmar (PSDB-MT) - É o ministro (sic) do Supremo também conhecido como Gilmar Dantas
Gilmar Dantas
Gilmar Dantas - ex-Supremo Presidente Supremo do Supremo, maldita herança do Farol de Alexandria que, num espaço de 48 horas, num plantão, deu dois HCs Canguru ao ínclito banqueiro Daniel Dantas. Também num plantão deu fuga ao Médico Monstro, Roger Abdelmassih.
H
Historialismo - Não é Historia nem Jornalismo. Aplica-se, geralmente, à fluvial obra do dos chapéus, que pretende transformar Geisel e Golbery nos Washington e Jefferson, Pais Fundadores da Democracia Brasileira.
I
Ilustre colonista da Fel-lha - É aquela que, na seção da Fel-lha que não tem Ilustrações, é um verdadeiro canhão contra os trabalhistas e um poodle com os tucanos e amigos do Otavim. Recebe supostos vazamentos do Gilmar (PSDB-MT) e dos médicos do Hospital Sírio Libanês, que lutam para sair na sua colona.
Imaculado Cunha - Deputado Eduardo Cunha, cuja virgindade foi reinstalada na sala cirúrgica da Globo.
Ínclito banqueiro
Ínclito banqueiro - Daniel Dantas, que está solto por causa de dois HCcs que Gilmar Dantas lhe concedeu num plantão (noutro plantão, ele soltou o Médico Monstro, Roger Abdelmassih).
J
JK de saias
JK de saias - Dilma Rousseff.
Jestão e prodíjio com ‘j’ - forma de definir a simulação de eficiência dos administradores tucanos.
K
Kamômetro - engenhoca produzida nos laboratórios do C Af . Mede a frequência de negros e pardos em eventos tucanos – em convenções do partido, em panelaços ou em manifestações neo-nazistas na Avenida Paulista. O nome deriva da insuperável obra do sociólogo, antropólogo, etnógrafo, biofísico e astrofísico Ali Kamel, diretor de Jornalismo da Globo, aqui também conhecido como Gilberto Freire com “i” (ver na letra “G”). Ele é autor de obra clássica da Literatura Fantástica: não, não somos racistas, porque no Brasil não há negros!
M
Mau Dia Brasil - Bom Dia Brasil.
Mentirão - o julgamento do PT no Supremo.
Mino Carta - romancista, pintor e jornalista, autor de duas frases mortíferas sobre o jornalismo tupiniquim: “O Brasil é o único lugar do mundo em que jornalista chama patrão de colega”; e “no Brasil, os jornalistas são piores que os patrões”.
N
Nelson Johnbim - Dividia o apartamento com Padim Pade Cerra (ver verbete) quando era deputado em Brasília, foi Ministro da Justiça do Fernando Henrique e por ele nomeado ministro do Supremo (na augusta companhia do Gilmar Mendes) (ver verbete). É um dos responsáveis pela nomeação da ministra Ellen Gracie para o Supremo, aquela da súmula vinculante, "Dantas não é Dantas, mas Dantas". Quando Lula o nomeou Ministro da Defesa, para enfrentar a crise do "caosaéreo", desacatou o grande brasileiro Waldir Pires, seu antecessor, na solenidade de posse. Johnbim foi apanhado no WikiLeaks numa reunião com o embaixador americano em que esculhambou a política externa do Governo a que servia, o do Lula. Teoricamente, ele trafega em todas as áreas da política. É do PMDB do Rio Grande do Sul, onde tudo cabe.
P
Padim Pade Cerra
Padim Pade Cerra - José Serra, depois da Crise Mistica Profunda que o acometeu na campanha sórdida de 2010. Como se sabe, Cerra acredita tanto em Deus quanto na Monogamia.
Pauzinho do Dantas - Paulinho da Força, também chamado de Paulinho da Farsa. Na votação de MP dos Portos, fechou com Dantas e Eduardo Campos.
PhD na Universidade Municipal de Caratinga, subsidiária da University of Chicago - Refere-se à Urubóloga. (ver aqui)
PiG Cheiroso - o jornal Valor, especialista em publicar press-releases de empresas que nele publicam balanços.
Posto Ipiranga - é o "ajuste" fiscal do Meirelles, segundo o Ciro. Serve pra tudo, se aplica a qualquer coisa. Não funcionou em lugar nenhum.
Príncipe da Privataria - Fernando Henrique Cardoso, segundo obra imortal de Palmério Dória, do mesmo nome.
R
Rei do Perdido de Vista - O ex-ministro do STF, Ayres Britto
Resende - não fosse o PiG os tucanos de São Paulo não passavam da cidade de Resende, na Dutra.
S
Suaves apresentadoras da Globo News - aqueles que se acham uma gracinha, querem tomar o lugar da Urubóloga e da âncora do Entre Caspas.
T
Torre de Londres - é o Juiz Sérgio Moro, da Vara de Guantánamo. Segundo Romero Jucá, "o Moro virou uma Torre de Londres. Mandava o coitado prá lá para o cara confessar"
Trambolho - é como o Ciro Gomes definiu o Temer: um trambolho no caminho do Golpe
Traíra - é o Temer, também aqui chamado de Trambolho (ver verbete)
U
Urubologia - Ciência codificada pela Urubóloga e seguida por uma fervorosa infinidade de jornalistas e economistas de bancos.
V
Vazadouros - são os membros da milícia armada na PF do zé (ver verbete), no Ministério Público e na Justiça que vazam delações selecionadas para os vazos, com a finalidade de derrubar a Dilma e prender o Lula. Os vazos são os "repórteres" e colonistas (ver verbete) que se alimentam do que os vazadouros excretam. O Conversa Afiada publicou um post que explica em minúcias: http://www.conversaafiada.com.br/brasil/quem-sao-os-vazadouros-e-os-vazos
Vazos - são os membros da milícia armada na PF do zé (ver verbete), no Ministério Público e na Justiça que vazam delações selecionadas para os vazos, com a finalidade de derrubar a Dilma e prender o Lula. Os vazos são os "repórteres" e colonistas (ver verbete) que se alimentam do que os vazadouros excretam. O Conversa Afiada publicou um post que explica em minúcias: http://www.conversaafiada.com.br/brasil/quem-sao-os-vazadouros-e-os-vazos
W
William Traaack - forma de amiga navegante Severina, nordestina, referir-se ao patibular âncora do jornal da globo.
Z
zé Cardozo - é o ex-Ministro (sic) da Justiça José Eduardo Cardozo. zé é a forma carinhosa de a equipe do Daniel Dantas se referir a ele, quando advogava para o ínclito banqueiro. O desempenho do zé nas cortes italianas foi tão desastroso que Dantas o demitiu. zé foi um dos convidados para o histórico almoço de culinária árabe, na casa do então senador Heráclito Fortes, com Dantas, o então ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos e o notavel advogado de Brasília, Sigmaringa Seixas. O objetivo do ágape foi o Dantas demonstrar que a reportagem que escreveu, a quatro mãos, no detrito sólido de maré baixa, com a conta numerada do Lula num paraíso fiscal foi no "bom sentido", "construtiva", sem "segundas intenções". Os presentes concordaram com o bom propósito da "reportagem". zé é o ceguinho malandro (ver verbete) que se tornou refém da Polícia Federal que deveria chefiar.
zé da Justiça - é o Ministro sic da Justiça José Eduardo Cardozo. zé é a forma carinhosa de a equipe do Daniel Dantas se referir a ele, quando advogava para o ínclito banqueiro. O desempenho do zé nas cortes italianas foi tão desastroso que Dantas o demitiu. zé foi um dos convidados para o histórico almoço de culinária árabe, na casa do então senador Heráclito Fortes, com Dantas, o então ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos e o notavel advogado de Brasília, Sigmaringa Seixas. O objetivo do ágape foi o Dantas demonstrar que a reportagem que escreveu, a quatro mãos, no detrito sólido de maré baixa, com a conta numerada do Lula num paraíso fiscal foi no "bom sentido", "construtiva", sem "segundas intenções". Os presentes concordaram com o bom propósito da "reportagem". zé é o ceguinho malandro (ver verbete) que se tornou refém da Polícia Federal que deveria chefiar.