Brasil

Você está aqui: Página Inicial / Brasil / Gilmar trama com Aécio, o gângster!

Gilmar trama com Aécio, o gângster!

Gilmar é o relator do processo do gângster no Supremo
publicado 19/05/2017
Comments
Transc.jpg

A propósito do impeachment do ministro Gilmar Mendes - tá vendo, Dr Janot, como a Eliana Calmon tinha razão...?

O ministro Gilmar, como se sabe, é o Vingador perdedor.

Da Fel-lha:

Outra ligação interceptada ocorreu entre o ministro do STF Gilmar Mendes e o senador Aécio Neves (PSDB).

Segundo o relatório policial sobre essa conversa, ocorrida no dia 26 de abril, Aécio "pediu ao ministro [Mendes] para que telefonasse para o senador Flexa Ribeiro. Neste diálogo, o senador investigado [Aécio] pede que o magistrado converse com Flexa Ribeiro para que este siga a orientação de voto proposta por Aécio". A referência é a votação do projeto que tratava de "abuso de autoridade" em discussão no Congresso Nacional.

Em resposta ao pedido de Aécio, o ministro do STF respondeu: "O Flexa, tá bom, eu falo com ele".

Aécio explica que Flexa "é o outro titular da comissão, somos três, sabe?"

Mendes confirma que falou sobre o assunto com outro senador, Anastasia (PSDB-MG). "Eu falei... eu falei com o Anastasia e falei com o Tasso. Tasso não é da comissão, mas o Anastasia..."

Aécio pede que o ministro do STF fale com Flexa sobre "a importância disso". O senador mineiro disse que o ministro do STF deveria afirmar a Flexa para "acompanhar a posição do Aécio porque eu acho que é mais serena".

"Eu falo com ele... eu ligo pra ele... eu ligo para ele agora", respondeu o ministro do STF.

Segundo a Polícia Federal, no mesmo dia da ligação telefônica o plenário do Senado aprovou o substitutivo do senador Roberto Requião (PMDB-PR) ao projeto que altera a definição dos crimes de abuso de autoridade.

A investigação também interceptou duas ligações telefônicas entre Aécio e o próprio diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello. Na primeira conversa, Aécio fala sobre o depoimento dele que estava marcado na Operação Lava Jato, e que depois seria adiado por decisão do ministro do STF Gilmar Mendes.

Numa segunda ligação, Aécio pede um espaço na agenda de Daiello para "falar sobre a previdência", assunto em discussão no Congresso.

Os documentos revelam que os aparelhos telefônicos de Aécio e de Loures estavam sob interceptação judicial -ou seja, os grampos não ocorreram nos telefones de Gilmar Mendes e de Michel Temer. No juridiquês, são provas coletadas de "forma fortuita".

O mesmo ocorreu no caso da ligação para Daiello.

Relatórios sobre essas ligações constam de documentos liberados por ordem do ministro do STF Edson Fachin nesta sexta-feira (19).

Em tempo: por coincidência, o Ministro Gilmar Mendes é o relator do processo contra o gângster Aécio Mineirinho, no Supremo. Quase o Gilmar não deixa instaurar. Teve o Janot que bater boca e insistir. Mas, curiosamente, nesse caso, Janot não arguiu suspeição. E foi à forra ao divulgar copiosamente essa trama criminosa entre um Ministro (sic) do Supremo com um gângster que era, àquela altura, Senador da República Federativa da Cloaca - PHA

Em tempo²: amiga navegante no Twitter do C Af comenta: "só no Brasil um senador chama juiz da suprema corte pelo primeiro nome"