Brasil

Você está aqui: Página Inicial / Brasil / 2014 / 02 / 12 / "Operação Banqueiro" bate na porta do Supremo

"Operação Banqueiro" bate na porta do Supremo

A incrível história de como o banqueiro Daniel Dantas escapou da prisão com apoio do STF (leia-se Gilmar).
publicado 12/02/2014
Comments

O Conversa Afiada recebeu honroso convite:


Amigos,

Na próxima terça-feira, vamos lançar Operação Banqueiro em Brasília. Vamos ver no que vai dar.

LANÇAMENTO DO LIVRO MAIS SÉRIO E REVELADOR DO ANO: OPERAÇÃO BANQUEIRO EM BRASÍLIA


O best-seller Operação Banqueiro - que já vendeu 25 mil exemplares em um mês e permanece há três semanas em todas as listas dos mais vendidos do país - será lançado em Brasília, na próxima terça-feira (18/02). A Geração Editorial e o jornalista Rubens Valente convidam todos para a noite de autógrafos na Livraria Saraiva, do Shopping Pátio Brasil, a partir das 19h.

Essa é a chance de conhecer o autor do livro mais sério e revelador dos últimos tempos: Operação Banqueiro - Uma trama brasileira sobre poder, chantagem, crime e corrupção. A incrível história de como o banqueiro Daniel Dantas escapou da prisão com apoio do Supremo Tribunal Federal
(leia-se Gilmar Dantas (*) - PHA) e virou o jogo, passando de acusado a acusador.

Na obra de 20 capítulos distribuídos em 464 páginas de informações reveladoras de como o banqueiro Daniel Dantas foi preso e libertado acusando seus acusadores. E mais inúmeros detalhes da trajetória polêmica desse empresário que como num romance policial criou uma teia de ligações com políticos, empresários, mentiras, chantagens e espionagens. Um outro fator que chamou atenção foi o talento do banqueiro em usar a mídia como uma forte aliada apenas quando lhe interessava.


Sobre o autor:

RUBENS VALENTE, 43 anos, é um dos maiores jornalistas investigativos do país. Repórter desde 1989, cobriu diversos escândalos e investigações federais, como a CPI dos Correios, em 2005, e várias operações da Polícia Federal.

Trabalha atualmente na sucursal da Folha de S. Paulo em Brasília. Recebeu o Prêmio Esso de Reportagem em 2001, duas vezes o Prêmio de Excelência Jornalística da SIP (Sociedade Interamericana de Imprensa), em 2012 e 2013, nas categorias Jornalismo de Profundidade e Relações Interamericanas, duas vezes o Grande Prêmio Folha de Jornalismo (2001 e 2010) e o prêmio do Movimento de Justiça e Direitos Humanos do Rio Grande do Sul em 2011.

Participou do projeto “Folha Transparência”, que em 2013 recebeu o Prêmio Esso de Contribuição à Imprensa. Recebeu três menções honrosas do Prêmio Latinoamericano de Jornalismo de Investigação do IPYS (Instituto de Prensa y Sociedad), nos anos de 2004, 2011 e 2012, e uma menção honrosa do Prêmio Vladimir Herzog. É formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

SERVIÇO:

LANÇAMENTO DO LIVRO: OPERAÇÃO BANQUEIRO

ONDE: SARAIVA – Shopping Pátio Brasil – SCS/B – Lote A – Nível 1 – Brasília

Horário: a partir das 19h

Quando: Terça-feira (18/02)

Navalha

O Conversa Afiada toma a liberdade de estender o convite aos egrégios ministros Gilmar Dantas (*) e Ayres Big Ben de Propriá Britto, que foram ao lançamento do livro do Ataulfo Merval (**) - qual é o assunto, mesmo ? - e de um colonista (***) que escreve sob o pseudônimo de "Rola Bosta".

Como se sabe, esse best seller do Rubens Valente é um guia para o impeachment do Gilmar, integrante do conjunto Dantas-Gilmar, onde se lê, também, "o que seria do Dantas não fosse o Gilmar".

Depois do lançamento do livro best-seller - que inveja, hein, Ataulfo ... ? - o Nassif publicou duas excelentes reportagens sobre os contratos SEM licitação que Gilmar Dantas conseguiu no tê-jo-ta-da-ba-hi-a, TJ da Bahia, senhores ! A que ponto nós chegamos !- Leia aqui e aqui.

Mas, ainda que a Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça venha, por qualquer motivo, dar saudades da Dra Eliana Calmon, o presidente Barbosa, também presidente do CNJ, saberá aplicar as devidas punições.

Ele é implacável.

Ou o Barbosa não é o Barbosa ? - clique aqui para ver o vídeo.

 




Paulo Henrique Amorim


(*) Clique aqui para ver como notável colonista (***) da Globo Overseas Investment BV se referiu a Ele. E aqui para ver como outra notável colonista da GloboNews e da CBN se referia a Ele. O Ataulfo Merval de Paiva (**) preferiu inovar. Cansado do antigo apelido, o imortal colonista (***) decidiu chamá-lo de Gilmar Mentes. Esse Ataulfo é um jenio. O Luiz Fucks que o diga.

(**) Ataulfo de Paiva foi o mais medíocre – até certa altura – dos membros da Academia. A tal ponto que seu sucessor, o romancista José Lins do Rego quebrou a tradição e espinafrou o antecessor, no discurso de posse. Daí, Merval merecer aqui o epíteto honroso de “Ataulfo Merval de Paiva”, por seus notórios méritos jornalísticos,  estilísticos, e acadêmicos, em suma. Registre-se, em sua homenagem, que os filhos de Roberto Marinho perceberam isso e não o fizeram diretor de redação nem do Globo nem da TV Globo. Ofereceram-lhe à Academia.E ao Mino Carta, já que Merval é, provavelmente, o personagem principal de seu romance "O Brasil".

(***) Não tem nada a ver com cólon. São os colonistas do PiG que combateram na milícia para derrubar o presidente Lula e, depois, a presidenta Dilma. E assim se comportarão sempre que um presidente no Brasil, no mundo e na Galáxia tiver origem no trabalho e, não, no capital. O Mino Carta costuma dizer que o Brasil é o único lugar do mundo em que jornalista chama patrão de colega. É esse pessoal aí.